English Version

SIMPLES E FUNCIONAIS

14/10/2016

Designer e arquiteta, Luciana Sobral comenta as particularidades da criação do mobiliário infantil

Em 2009, a arquiteta Luciana Sobral foi convidada para pensar e desenhar o mobiliário de uma escola infantil bilíngue que acabava de chegar à cidade. “A escola seria inaugurada no ano seguinte e, para melhor conduzir o projeto, estudei toda a filosofia da instituição, de pedagogia ao moveis”, conta ela, que gostou tanto da experiência que não parou mais. “O aprofundamento no universo infanto-juvenil possibilitou novos projetos. Começamos a ser procurados também para fazer brinquedotecas, quartos infantis”, comenta a arquiteta, hoje à frente do Novidário, um escritório de nós, o desenho do móvel infantil deve traduzir as necessidades de cada criança, sendo funcionalidade e simplicidade características fundamentais”, afirma ela nesta entrevista ao Casa.

É importante criar um ambiente interativo para abrigar os móveis infantis? Eles funcionam melhor nessas situações?

Sim. Ambiente e mobiliário devem conversar sempre. O trabalho do arquiteto e do designer deve ser de cooperação. Trabalhar em parceria, desde o início de cada projeto é sempre recomendado. Sou arquiteta e designer, de modo que estou acostumada a trabalhar de forma multidisciplinar.

Aos olhos da criança existe uma relação entre móvel e brinquedo? Os móveis infantis devem também contemplar essa finalidade?

O móvel pode ser um brinquedo, pode ser um local de armazenagem de brinquedos ou, simplesmente, estar de tal forma integrado ao ambiente que a criança possa brincar com ele. Uma cadeira pode ser muitas coisas aos olhos de uma criança. Pode sugerir uma cabana, uma cama de boneca. Mas se ela não estiver integrada vai ser apenas uma cadeira.

Quais cuidados devem envolver a produção de móveis infantis?

No nosso caso, trabalhamos com marcenarias parceiras e acompanhamos todo o processo: da compra do material à instalação do mobiliário quando necessária. Discutimos todos os itens para que o resultado seja um móvel resistente e seguro. Utilizamos cera impermeável, não tóxica, para deixar a madeira com um aspecto natural. Mas também trabalhamos com materiais como metal, acrílico. Em qualquer caso, o importante é acompanhar todas as etapas.

Matéria publicada pelo jornalista: Marcelo Lima do, O Estado de São Paulo 09 de outubro de 2016

1° FOTO. A arquiteta e designer Luciana Sobral

2° FOTO. A escrivaninha Adapta, da marca Novidário.

3° FOTO. Banco de madeira empilhável da Novidário.

4° FOTO. Quarto infantil com cama e escrivaninha desenhadas pela Novidário.