English Version

A ALEGRIA PODE ESTAR NA NOSSA CASA

15/12/2015

Todos os dias, Stefan Sagmeister acorda e depara com uma linda vista de Nova York, onde vive. “Poder observar a cidade por esse ângulo eleva meu espírito”, fala o designer gráfico austríaco, de 53 anos. Desde 2012, ele se dedica a entender o que faz as pessoas felizes e acredita que a alegria pode estar na nossa casa. Mas não é preciso morar na Big Apple, como ele, para alcançar a felicidade. Palestrante, do fórum What Design Can Do! – que pela primeira vez desde sua criação, há cinco anos, teve uma edição fora da Holanda –, ele falou por e-mail sobre sua relação com o bem-estar.

Por que você resolveu estudar a felicidade?

Durante um período sabático, resolvi me dedicar a um tema que fizesse sentido na minha relação com o design, e esse tema pareceu adequado. Achei também que era preciso pensar em algo que fosse útil para mais gente. Isso me propôs um desafio interessante. E, assim, não sou especialista na felicidade alheia, mas posso falar por mim: fico muito contente quando percebo que meu trabalho faz sentido e ajuda ou agrada outras pessoas.

Como o design pode nos deixar mais alegres?

Mais de 50% da população mundial vive em ambientes urbanos, e nesses locais, tudo, mas tudo mesmo, foi pensado por alguém – das lentes de contato às roupas, passando por cadeiras, ambientes, casas, ruas, parques e a própria cidade. Para um habitante da metrópole, esse esse entorno planejado exerce a mesma função que a natureza para o morador de uma floresta. Ele pode ser bem ou mal planejado e fazer a difereça na vida das pessoas. Há muitos produtos que nascem para facilitar nossa vida, mas a tendência é percebermos a presença deles somente quando algo vai mal. Mas, quando as coisas vão bem é que está tudo certo.

Que papel tem a casa na nossa felicidade?

O de gerar bem-estar. O mesmo vale para nosso ambiente de trabalho. Eu acabei de me mudar para um novo escritório, mais novo e iluminado, e me sinto muito melhor lá do que no antigo espaço. Será interessante descobrir se esse sentimento persistirá ou se, com o passar do tempo, o costume trará a mesma percepção que eu tinha em relação ao estúdio anterior.

O que sua casa tem de especial para fazê-lo feliz?

O que mais me encanta lá é a vista que tenho de Nova York. Poder observar a cidade por esse ângulo eleva meu espírito dia após dia.

O What Design Can Do! teve lugar na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em 7 e 8 de dezembro. O chef Alex Atala, o designer de interiores Marcelo Rosenbaum, o designer Fabio Lopez e a produtora cultural Bebel Abreu foram os palestrantes braisileiros do fórum.

Matéria publicada pela Casa Claudia em 01 de novembro de 2015