English Version

SALA SÃO PAULO – 1 HARMONIA PERFEITA

27/11/2015

Instalada há 16 anos numa antiga estação de trem, esta sala de concertos é palco de rara sintonia entre música e arquitetura

Meses atrás, a Sala São Paulo foi considerada pelo jornal britânico The Guardian uma das dez melhores do mundo. A honraria, passado algum tempo das premiações subsequentes à inauguração, em 1999, lançou nova luz sobre a empreitada de resultado exemplar, fruto de uma iniciativa pública pautada na excelência. Hoje o complexo cultural (que funciona ao lado da plataforma de embarque e abrigará a cerimônia do 8° Prêmio O Melhor da Arquitetura, no dia 23) acolhe a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), parte de uma fundação empenhada em levar a programação de primeira linha a variados lugares e públicos – e, inclusive, contribuir para a melhora do conturbado entorno, na região dos Campos Elíseos. Ali, prevalecem os mais altos níveis de qualidade técnica e artística. “Só 14 anos depois de terminado o restauro e a readequação consegui me distanciar e ouvir de fato a música”, diz o arquiteto Nelson Dupré, artífice da conversão da sede ferroviária no endereço de afinados bemóis e sustenidos, a respeito da turnê europeia que acompanhou em 2014. “Nessa viagem, enfim constatei: a orquestra e a sala são extraordinárias”, arremata ele. “Meu sonho é viabilizar o plano inicial de ter um órgão aqui dentro”, diz. Nunca é demais, afinal a boa música suscita o melhor nas pessoas. Conheça um pouco dessa história a seguir.

Matéria publicada pela jornalista: Joana L. Baracuhy da Arquitetura e Construção em novembro de 2015