English Version

CYRELA APOSTA NO LUXO E LANÇA RESIDENCIAL DE 26 MIL O METRO QUADRADO

13/11/2015

A Cyrela lançou, no fim de outubro, empreendimento residencial de luxo, na região da Faria Lima, na zona Sul da cidade de São Paulo, com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 440 milhões, cujo preço médio por metro quadrado é de R$ 26 mil. O projeto, denominado One Sixty devido à frente de 160 metros do terreno, foi desenvolvido em parceria pela Cyrela com o escritório britânico Yoo, criado por Phillippe Starck e John Hitchcox.

Nos últimos quatro meses, o preço médio dos lançamentos na região do entorno do novo projeto da Cyrela foi de R$ 17,850 mil, segundo o presidente do Zap Imóveis, Eduardo Schaeffer.

"Hoje, só existe espaço para grifes, não mais para commodities", diz o co-presidente da Cyrela, Efraim Horn. Na avaliação do executivo - responsável pelas áreas de terrenos e projetos na empresa -, é preciso que os empreendimentos tenham diferenciais independe do padrão de renda.

No início de setembro do ano passado, a incorporadora lançou outro empreendimento de luxo, o Cyrela by Pininfarina, cujo preço médio também era de R$ 26 mil por metro quadrado. Até o momento, 70% do projeto foi vendido, patamar muito acima das atuais velocidades de comercialização. O Pininfarina destina-se a casais, como uma "Ferrari esportiva", segundo o co-presidente da Cyrela, enquanto o One Sixty é direcionado para famílias maiores.

As duas coberturas do novo projeto, que têm metro quadrado superior a R$ 30 mil, já foram vendidas. A comercialização das unidades do One Sixty pode contribuir para acelerar as vendas da Cyrela neste fim de ano. De janeiro a setembro, as vendas da companhia caíram 38% ante o mesmo período de 2014, para R$ 1,987 bilhão, considerando-se somente a parte própria.

No evento de apresentação do projeto, Horn citou o ditado judeu: "uma vista bonita e uma casa bonita expandem a mente do ser humano". Os apartamentos do One Sixty têm área de 270 metros quadrados e 340 metros quadrados, e cada um tem de quatro a sete vagas. Trata-se de projeto com 56 apartamentos com pé direito de 6,2 metros, concentrados em uma única torre erguida em terreno de 5.600 metros quadrados. "É uma quebra de limites verticais e horizontais", diz. Horn ressalta que o mercado de alto padrão no Brasil é "muito exigente" e que o empreendimento se compara a um hotel de seis estrelas.

Questionado sobre como seu pai - Elie Horn, fundador da Cyrela e presidente do conselho de administração - recebeu o projeto, o co-presidente afirmou que "o doutor Elie ficou muito entusiasmado". "Em 53 anos, a Cyrela não tinha conseguido um terreno assim, neste local. O doutor Elie vê o terreno como uma oportunidade rara, da qual temos de cuidar para além do que o cliente pode esperar", diz o filho. A única regra, no projeto, foi "quebrar todas as regras", de acordo com o co-presidente.

Horn não divulga o valor do terreno, mas conta que a área foi montada durante quatro anos e meio, a partir de 30 propriedades residenciais e um empreendimento comercial. A montagem terminou há dois anos. "Faríamos a compra de novo. Há escassez de oferta de alto padrão", diz Horn. Perguntado se os projetos de luxo ganharão participação no VGV lançado anualmente pela Cyrela, Horn disse que desenvolver projetos com esse perfil depende de conseguir terrenos e que há muita concorrência para isso.

A Yoo será parceira exclusiva da Cyrela para desenvolvimento de empreendimentos em São Paulo e no Rio de Janeiro. Dois projetos estão previstos para cada uma das cidades, e os respectivos terrenos já foram comprados.

Até o fim do ano, a incorporadora lançará um empreendimento de médio padrão e pode apresentar também, se obtiver as licenças, um projeto de alto padrão.

FOTO: Efraim Horn (esq.), da Cyrela, e John Hitchcox, da Yoo: parceria será levada para outros projetos em São Paulo e no Rio

Matéria publicada no jornal Valor Econômico