English Version

SOB MEDIDA PARA COMEÇAR A VIDA A DOIS

12/08/2015

Os noivos fizeram questão de escolher todos os detalhes do novo lar – inclusive o tamanho dos cômodos e a posição de cada parede! Como resultado, o apê de 70 m² ficou pra lá de espaçoso, confortável, moderno e em perfeita sintonia com a personalidade do casal.

Ao se depararem com um folheto imobiliário diferente, a empresária Marina Monção e o economista Jonatas Castro, de São Paulo, foram fisgados pela possibilidade de configurar a planta como quisessem. Correram para o site do empreendimento (Max Haus), onde simularam a distribuição de paredes em busca do layout perfeito: decidiram que as únicas divisórias internas seriam as do banheiro – marcenaria daria conta do resto. Negócio fechado, escalaram a arquiteta Juliana Shwartzbaum, que tirou os planos do papel. “O projeto ficou melhor do que imaginávamos”, contam.

Área otimizada e ideias descoladas.

Não há barreiras entre o jantar e o estar, reforçando a amplitude. A mesa está em um ponto estratégico: o canto de 3,86 x 1,88 m recebe o móvel de seis lugares, além de um bufê que é um curinga. Em L, a peça ocupa toda a parede e continua após a quina, no hall de entrada.

As atenções também se voltam para o alto. No teto de concreto (padrão da construtora), as luminárias são orientadas de acordo com o uso dos ambientes. A do jantar foi feita pela arquiteta: “Recriei um modelo que a Marina tinha como referência. Bastou aparafusar uma barra de aço e enrolar nela os fios, dotados de soquetes nas pontas, variando as alturas. O conjunto saiu por menos de R$ 400”, diz Juliana.

O sofá de couro preto e a parede roxa (Sugilite, ref. R088, da Suvinil, Leroy Merlin, R$ 27,90 a lata de 810 ml) delimitam o estar.

Flexibilidade total em 70 m².

O imóvel foi entregue apenas com as paredes do banheiro (1), sendo que uma delas se estende, isolando o closet da cozinha (2). Dois painéis de MDF (3) entraram para demarcar o quarto – eles podem ser facilmente removidos caso os moradores decidam refazer o layout do apartamento.

Para dividir e somar.

Um painel de MDF laminado marca o limite entre quarto e sala. Feito sob medida, foi reforçado, a fim de suportar duas prateleiras. A montagem dessa divisória ainda reserva um segredo: composta de duas chapas afastadas 11 cm uma da outra, a estrutura permite embutir a porta de correr quando aberta, além de esconder a fiação dos aparelhos
eletrônicos presos nas superfícies de ambos os lados. Tudo por um visual limpo e organizado! .

Apesar de a decoração ser contemporânea, peças vintage ganharam o direito de se mostrar, a exemplo da máquina de costura sobre o rack e do rádio de madeira, herdado do avô de Marina, na prateleira.

A base em preto e branco pedia um colorido. “Para dialogar com as cadeiras verdes do jantar, apostei no pufe roxo e salpiquei detalhes amarelos, esquentando a composição”, diz Juliana. O piso de madeira tem o mesmo objetivo.

Fazendo o espaço render.

A área do dormitório foi determinada pelo posicionamento das janelas laterais. “Na hora de instalar a divisória, buscamos afastá-la ao máximo do pé da cama, até quase encostar na esquadria do estar, o que proporcionou uma boa circulação livre”, explica Juliana.

Na cabeceira, um painel de MDF laminado branco (3,87 x 0,08 x 1,20 m), que apoia as luminárias de leitura e oculta a fiação, divide espaço com um elegante papel de parede de veludo listrado (modelo Nabo. Papel de Parede dos Anos 70 , R$ 285,43* o rolo de 0,52 x 10 m).

Para criar o closet, mais uma vez a arquiteta convocou a marcenaria: além dos nichos e gavetas do armário, ela concebeu um conjunto de divisórias que se estende até a sala – note que essa estrutura inclui ainda duas portas de correr, uma para o closet e outra para o banheiro.

Banheiro neutro com toque de cor.

A parede do banheiro manteve o acabamento de concreto aparente original – essa mesma estrutura abriga, pelo lado de fora, uma bancada de MDF laminado fosco amarelo (1,65 x 0,46 x 0,10 m), que faz as vezes de escritório.

Como o imóvel já veio com tampo e cuba de vidro, louças e mármore no piso, foi preciso investir apenas no espelho e nos móveis. O charme vem do armário suspenso, revestido de laminado da Formica, na cor Cerâmica, ref. L103 (Marcenaria Cambucience, R$ 790).

Cozinha de personalidade.

Marina decidiu que queria armários verdes e, com isso, acabou definindo o ponto de partida para a criação da paleta de cores do apê. A arquiteta sugeriu combinar o tom com um padrão amadeirado, e encomendou os módulos coloridos revestidos de laminado fosco (L 113 Verde Oficial, da Formica) – assim, dá para deixar recadinhos com giz nas portas e limpar com pano úmido depois. O ar retrô das peças agradou em cheio a moradora: “Amo essa mistura do clima mais antigo com o moderno”.

O piso de concreto original deu lugar ao porcelanato preto (Onix Polido, da Portinari. C&C, R$ 179,90 o m²), fazendo uma parceria marcante com os armários. A parede da pia, por sua vez, ganhou cerâmica branca.

Para melhorar a área de trabalho, o balcão de granito original, de 1,40 m de extensão, cresceu: somando 3,30 m, avança em direção ao canto de refeições rápidas dos moradores e abriga a lava e seca – eles investiram no equipamento, dispensando uma lavanderia completa.

matéria publicada na revista Minha Casa em junho de 2015.