English Version

LUMINÁRIAS RETRÔ: OS PRINCIPAIS LANÇAMENTOS DA EUROLUCE

10/08/2015

O apelo retrô visto nos lançamentos do Salão do Móvel de Milão, em abril, comparece também na mostra bienal de iluminação paralela à feira. Algumas das novidades já estão a caminho do Brasil.

A Barovier&Toso surpreende com o Perseus, que propõe um olhar contemporâneo sobre o vidro de Murano – material típico de Veneza, onde fica a companhia. Criação de Marcel Wanders.

Bronze, cobre e dourado são os tons do momento para a casa inteira – inclusive o teto, a julgar pelos pendentes exibidos na Euroluce, que, a cada dois anos, integra o Salão do Móvel de Milão. O metal nessas nuances é um dos motivos pelos quais os produtos conferem um toque vintage ao décor, reforçado por vidro em versão leitosa ou texturizada. Outra vertente sugere luminárias que mais parecem obras de arte, seja em objetos delicados, sutilmente suspensos no ar, seja em impactantes peças que centralizam as atenções em qualquer ambiente.

Releitura das milenares lanternas japonesas, a Picnic, de Omar Carraglia para a Davide Groppi, bem que poderia fazer as vezes de escultura.

Releitura das milenares lanternas japonesas, a Picnic, de Omar Carraglia para a Davide Groppi, bem que poderia fazer as vezes de escultura.

Se na foto a Les Danseuses, do Atelier Oï para a Danese Milano, empresa do grupo Artemide, já é impactante, espere até apreciá-la ao vivo abrindo e fechando a cúpula de tecido enquanto gira, num movimento que remete à saia de uma bailarina de famenco.

Luminárias com o bulbo aparente também sobressaíram nos estandes da feira. Estes, batizados Orb, são de Hanna Litwin e Romin Heide, do estúdio Famos, para a grife Modo Luce.

Finos e sinuosos cabos folheados a ouro 24 quilates compõem o Hoops, lustre da Axo Light assinado por Giovanni Barbato.

“Gosto de imaginar um paralelo entre as luzes e as joias”, afirma Michael Anastassiades, autor da versão de mesa Copycat e do pendente Notch (ambos da Flos). Isso explica por que uma peça parece um brinco, e a outra, um colar.

“Gosto de imaginar um paralelo entre as luzes e as joias”, afirma Michael Anastassiades, autor da versão de mesa Copycat e do pendente Notch (ambos da Flos). Isso explica por que uma peça parece um brinco, e a outra, um colar.

Recém-adicionada ao portfólio da Diesel with Foscarini, a White Noise, produzida com alumínio fosco, traduz outra tendência importante: o uso de LEDs.

Com difusores de vidro acoplados a uma estrutura de bronze, a família Bai, do estúdio Neri&Hu para a Parachilna, será vendida pela Puntoluce.

Simplicidade e pureza nas linhas são a premissa da linha Tail, pensada por Carlo Colombo para a FontanaArte e a ser fornecida pela La Lampe no país.

O traço minimalista de Oki Sato, do estúdio Nendo, fica claro no abajur da Foscarini. A Lumini trará o modelo para cá.

Representante da Vibia no Brasil, a Iluminar mostrará destaques do catálogo de 2015 da grife, a exemplo da coleção Pin, de Ichiro Iwasaki.

Torres com caixa-d’água inspiraram Sebastian Herkner na concepção da Oda, lançamento da Pulpo que a Interpam tratará de importar.

matéria publicada na revista Casa Claudia em junho de 2015.