English Version

MICROSOFT APRESENTA O ‘ÚLTIMO’ WINDOWS

30/07/2015

Versão 10 do sistema operacional marca virada para modelo de serviço.

A Microsoft está prestes a lançar o Windows 10, a nova versão do sistema operacional que deu forma à indústria dos computadores pessoais. Será o último Windows. Em trinta anos, desde que a Software chegou ao mercado, em novembro de 1985 consumidores e fabricantes de PCs acostumaram-se a ver surgir edições reformuladas do sistema, em intervalos de dois ou três anos. O Windows 10 marca um ponto de ruptura. Em vez de grandes lançamentos, a companhia pretende fazer atualizações constantes, de maneira quase imperceptível para o usuário, o programa de navegação do Google. Não se espere, portanto, um Windows 11 ou posteriores.

Mas isso não quer dizer que a Microsoft esteja aposentando o sistema. Pelo contrário: com as atualizações on-line, a expectativa é que o consumidor tenha sempre em mãos os recursos mais avançados, o que tende a reforçar o uso do Windows. Ao mesmo tempo, evita especulações sobre qual será a curva de adoção de uma nova versão. Por exemplo, o Windows 8, lançado em outubro de 2013, ainda é menos utilizado que seu antecessor, o 7, distribuído dois anos antes.

Com o Windows 10 ( o número 9 foi 9 pulado), a Microsoft aprofunda a estratégia de vender software como serviço, sem cobrança de uma licença de uso. Em vez disso, os programas são pagos coo uma conta de água e luz. A companhia já havia feito isso com outros produtos, como o pacote Office (Word, Excel, PowerPoint etc...) e o Dynamics, usado por empresas para gerir para o relacionamento com seus usuários.

matéria publicada no jornal Valor em 14 de julho de 2015 por Gustavo Brigatto e João Luiz Rosa.