English Version

SÃO PAULO: O CHARME DAS CIDADES AO REDOR DA CAPITAL

08/07/2015

Região Metropolitana apresenta preços mais acessíveis e bons projetos imobiliários.

Economizar. O ABC oferece grandes empreendimentos imobiliários para quem quer pagar menos do que na capital.

Uma das principais diretrizes do novo Plano Diretor de São Paulo é o adensamento populacional ao longo das vias expressas de transporte público para desestimular o deslocamento em veículos particulares. Contudo, mesmo estimulando a verticalização residencial nestas regiões, ainda é o preço dos imóveis o fator que mais determina onde as pessoas vão morar. Alguns exemplos representativos desta condição são observados na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP).

No passado, era mais comum pessoas se mudarem da Grande São Paulo para a capital, tanto por uma questão de mobilidade urbana, quanto pela proximidade do local de trabalho. Há mais ou menos dois anos, este fluxo se inverteu, porque os valores nos municípios do entorno continuam sendo mais acessíveis e as opções de compra também são atraentes.

Na RMSP, por exemplo, os preços dos imóveis estão entre 30% a 40% menores em relação à capital, o que permite investir em apartamentos mais amplos, com mais infraestrutura e opções de lazer, se comparados aos que se poderia adquirir na cidade de São Paulo pelo mesmo valor despendido no entorno.

O superintendente comercial da Brookfield Incorporações, Carlos Eduardo Fernandes, cita como exemplo o bairro da Saúde e o município de Santo André. Embora estejam próximos, a diferença de preço nestas regiões para chegar a 35%. “A pessoa que queria comprar um apartamento de 60 m² na Saúde, pode comprar um de 100m² em Santo André. Diante disso, aplica-se a regra de ponderar se vale a pena morar mais distante, porém mais conforto.

Em razão da maior disponibilidade de terrenos, Fernandes ressalta que muitos empreendimentos lançados no entorno da capital apresentam infraestruturas mais ampla, com mais opções de lazer. “Às vezes, o condomínio aqui em São Paulo não tem quase nada, já na região metropolitana é possível encontrar um mega condomínio clube com uma infraestrutura mais completa”, destaca.

O valor do metro quadrado em São Bernado do Campo e em Santo André são muito próximos – R$5.919 e R$ 6.076 respectivamente. Já o metro quadrado em São Caetano do Sul é mais caro (R$6.872), porque a cidade é menor e, portanto, tem menos terrenos disponíveis para a construção de novas unidades. A cidade apresenta um dos maiores níveis de verticalização da Grande São Paulo.

matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo em 5 de julho de 2015.