English Version

SÃO PAULO: ZONAS SUL E CENTRO NA MIRA DO MERCADO

01/07/2015

Melhorias. Obras do monotrilho na Avenida Santo Amaro, zona sul da capital, que ganhou novas unidades residenciais e comerciais em toda sua extensão.

Pesquisa mostra que, entre 2011 e 2014, construtores apostaram em empreendimentos nos eixos de melhor transporte público.

As zona sul e centro da capital paulista foram as que mais receberam novas unidades residenciais desde 2011. Facilidade de locomoção e de acesso às estações de metrô (prontas e futuras) foram certamente o maior impulso para os lançamentos. No entanto, as regiões oeste, leste norte também engrossaram a lista nesses quatro anos.

Levantamento realizado pela Inteligência de Mercado da Abyara mostra que a capital paulista recebeu 91.040 unidades residenciais entre 2011 e 2014, sendo 28.815 unidades de um dormitório (32%) e 62.225 de dois dormitórios (68%).

“No período entre 2011e 2014, mas principalmente os anos de 2011, 2012 e 2013, o mercado ainda estava acelerado e a economia estava bem. Ainda hoje temos empreendimentos que foram incorporados em 2011, por exemplo. Ou seja, muitos terrenos foram adquiridos no clima de ‘euforia’, di o vice-presidente da Abyara Brasil Brokers, Bruno Vivanco.

Liderança. A zona sul lidera os lançamentos de um dormitório, foram 12.620 unidades, no cento foram 3.848 apartamentos seguida de Zona Oeste (3.543), leste (2.704) e norte (1.023). Em 2010, apartamento com até 49 metros quadrados e preço médio até R$ 6 mil o m² representavam 40% dos lançamentos, em 2014, 78% se concentraram nesta metragem.

“A maioria dos apartamentos de um dormitório lançados no centro e boa parte das unidades na zona oeste e sul, são de um dormitório”. Diz Vivanco.

Segundo ele, a menor quantidade de lançamentos nas zonas norte e leste é devido as características de primeira moradia com maior volume de dois dormitórios, que é o apartamento da entrada, a maior demanda e o maior volume lançado e absorvido pelo mercado. “No período de 2011 a 2014, os apartamentos de um dormitório se destacaram, principalmente para linhas férreas são os destaques de bairros como República e Santa Cecília (Centro), Chácara Santo Antonio e Vila Andrade (sul), Barra Funda (Oeste), por exemplo. “O cruzamento de linhas de metrô é um fato que reflete no mercado imobiliário e é muito importante”, diz Vivanco.

Crescimento. Os bairros próximos às regiões de desenvolvimento urbanístico e transporte sempre têm demanda. “O comprador busca facilidade e não abre mão de uma boa locomoção; morar perto do metrô é um dos maiores atrativos”, diz a diretora de incorporação da You, Inc, Alessandra Calefo.

matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo em 28 de junho de 2015.