English Version

EM SÃO PAULO ZONA OESTE TEM 5 MIL IMÓVEIS EM ESTOQUE

11/06/2015

Preço médio na região é de R$11,2 mil por metro quadrado, mas o valor sobe na Vila Madalena, chegando a R$ 16,2 mil.

A zona oeste da capital acumula 5,1 mil apartamentos novos a venda, segundo o painel de mercado da imobiliária Lopes divulgado no mês passado. Isso representa 34% de tudo o que foi lançado de marco de 2012 ate fevereiro deste ano. O estoque - que era de 3,2 mil unidades no levantamento anterior, fechado em agosto - aumentou 60% em seis meses. Exatas 1.864 unidades.

O painel mostra que foram vendidos 10.124 apartamentos na região em 36 meses. Com base na media mensal, o estoque atual representa um ano e meio de vendas. O preço médio e de R$ 11,2 mil por metro quadrado.

Ranking

A Vila Madalena lidera o ranking com R$ 16,2 mil/m, acima de Pinheiros (R$ 15,1 mil) e Perdizes (R$ 13 mil), trio consagrado como objeto do desejo por sua infraestrutura de serviços, lazer e qualidade de vida.

A seguir, vem Alto de Pinheiros (R$ 12,1 mil), Pompeia (R$ 11,9 mil) e Alto da Lapa (R$ 11,2 mil). Abaixo do preço médio do estoque, aparecem Vila Leopoldina (R$ 10,47 mil), Barra Funda (R$ 9,9 mil), Vila Romana (R$ 9,78 mil), Lapa (R$ 8,95 mil) e Butantã (R$ 6,98 mil).

No balanço anual do Sindicato da Habitação (Secovi), a zona oeste se destaca como a região que mais fez lançamentos em 2014. Foram 8.112 unidades - 26% do total da cidade - superando a zona sul (com 7.599), a tradicional campeão. A tipologia que teve maior participação nos lançamentos feitos na zona oeste foi de um dormitório.

1 dormitório

Na cidade inteira, segundo o Secovi, apartamentos de ate um dormitório também se destacaram no ano passado. Representando 34% dos lançamentos e 28% do volume comercializado - respectivamente, 10,7 mil lançados e 6 mil vendidos. Sobraram 4,7 mil unidades dessa tipologia no estoque da capital na virada do ano.

O diretor da imobiliária Realton, Rogerio Santos, vê excesso de oferta de produtos ultracompactos na cidade. E um estoque diferente para ser desovado, diz. E um desafio de vendas. Segundo ele, grande volume de lançamentos e elevada oferta de produtos pressionam para baixo o valor, causando forte impacto na margem dos incorporadores.

Ponta de estoque

Especializada em estoques, a Realton tem em carteira 2 mil unidades, de 240 empreendimentos lançados pelas dez maiores empresas listadas em Bolsa, afirma Santos. O maior volume e de unidades compactas.

Desses 2 mil apartamentos, 24% estão prontos e cerca de 30% serão entregues em ate 12 meses. Santos diz que o apartamento pronto traz benefícios para o consumidor, que pode ver o produto final e a qualidade de acabamento. A diferença em relação ao estoque em construção ou na planta e que, no imóvel pronto, o consumidor vê o que e real na pratica, alega.

matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo em 26 de abril de 2015.