English Version

SALAS DE ESTAR NÃO SAEM DE MODA

03/06/2015

Quatro profissionais estrelados mostram aqui os segredos para criar um living que não sai de moda. Além de continuar atual por anos a fio, este tipo de ambiente aceita sem conflitos novas aquisições de objetos e obras de arte.

VALOR ÀS MEMÓRIAS

“Conforto, tranquilidade e harmonia são essenciais quando a ideia é compor uma decoração que não envelhece”.

LEVEZA CHIQUE

“A iluminação indireta, com abajures, não só resulta em aconchego como também contribui para a atmosfera aremporal.

Por Dado Castello Branco.

Os moradores deste apartamento em São Paulo queriam uma sala informal, aconchegante e, ao mesmo tempo, refinada. Por isso, não há peças de aspecto carregado nem excesso de cores, o que torna o espaço visualmente mais limpo. “Como tem clima tranquilo, o ambiente permite explorar melhor as obras de arte, que nunca podem faltar quando a proposta é buscar a atemporalidade”, conta o arquiteto Dado Castello Branco. Peças antigas, a exemplo dos abajures de Murano, tratam de reforçar o ar durável.

Apesar de criada nos anos 1950, a mesa lateral (Passado Composto Século XX) exibe desenho puro e superatual. Ao centro, modelo de aço inox e mármore da Érea, na sala de estar criada por Dado Castello Branco.

A dupla de baús (Arnaldo Danemberg) abriga belo arranjo de livros, velas e objetos. O vaso reclinado de Murano roxo é da Loja Teo, e a luminária, da Scandinavia Designs. Projeto de Dado Castello Branco.

MATERIAIS NOBRES

“Acho primordial se sentir bem em casa. Não vale a pena aderir a modismos, pois eles logo cansam”.

Sobre a mesa de centro com tampo de mármore (Érea), livros e flores brancas complementam o décor. Dica: a mesa de centro é um ótimo local para exibir itens queridos, a exemplo deste trio vindo de Nova York. Deve-se, contudo, evitar o excesso. Projeto de Roberto Migotto.

Amplo, o tapete de seda e lã Starfower Silk (The Rug Company) abriga todos os móveis do estar – como pede o projeto elegante de Roberto Migotto – e ainda soma leve brilho ao espaço. O painel de marcenaria executado por Augusto Moreno Closets atrai a atenção.

DECÓR EM MOVIMENTO

“As memórias têm de estar presentes na decoração. Por isso, gosto de valorizar os objetos que ajudam a preservá-las”

Apesar de básico,o sofá em L da Flexform (Casual Móveis) contém uma aura de descontração, já que uma extremidade funciona como banco sem braço nem encosto. Portas de correr de vidro branco (Cinex) ampliam a luminosidade, na sala de estar criada por Marco Aurélio Viterbo.

Ponto de destaque no living, o estofado revestido de camurça uva (Casual Móveis) prova que é possível ousar no tom sem tornar o conjunto carregado – basta manter o entorno mais neutro. Se a cor cansar, troca--se o tecido. Tapete nepalês da By Kamy.Projeto de Marco Aurélio Viterbo.

Matéria publicada na revista Casa Claudia em abril de 2015 por Débora Aguiar.