English Version

MC DONALD’S REVÊ ROTA PARA RECONQUISTAR CONSUMIDOR

11/05/2015

Easterbrook, presidente do Mc Donald’s: “Mundo mudou com mais rapidez.”

O Mc Donald’s se comprometeu a reestrutura seus negócios e a cortar custos. O plano, há muito esperado, visa revitalizar as vendas da rede de fast-food. Os analistas questionaram, no entanto, se seu novo diretor-presidente fez o suficiente para acertar o passo com a revolução ocorrida no gosto do consumidor, que, segundo reconheceu, a empresa não acompanhou.

“Nos últimos cinco anos o mundo mudou com mais rapidez fora da empresa do que dentro”, disse Steve Easterbrook, em vídeo divulgado ontem. “Não vou me furtar à necessidade urgente de redirecionar esta companhia.”

O executivo britânico, que sucedeu a Don Thompson em março disse que o plano de se tornar uma “empresa de hambúrgueres moderna, progressista” reconhece a realidade de que “nosso desempenho recente vem sendo precário”.

As vendas do Mc Donald’s foram prejudicadas nos últimos anos, quando os consumidores americanos migraram de hambúrgueres e batata frita para alimentos tidos como mais saudáveis. Easterbrook disse que ações de marketing e novos itens do cardápio vão destacar o emprego, pela rede, de ingredientes mais frescos e naturais.

“Consideramos que o grande desafio será atrair a geração Y [os jovens de 20 a 33 anos] e melhorar resultados em termos de mesmas lojas”, disse o analista Efraim Levy, da S&P Capital IQ. As cadeias tradicionais de fast-food como o Mc Donald’s estão perdendo consumidores da geração Y em favor dos restaurantes conhecidos em inglês como “fast-casual”, com comida de melhor qualidade e instalações mais sofisticadas, como a rede de burritos Chipotle, que crescem a um ritmo de duas a três vezes maior.

Segundo o plano Easterbrook, a empresa será reorganizada em quatro segmentos, que reunirão mercados com características semelhantes. Os dois maiores, que respondem, cada um, por 40% das receitas, são os Estados Unidos e “os principais mercados internacionais”, como Austrália, Canadá, França, Alemanha, Reino Unido.

Os mercados de alto crescimento – China, Itália, Polônia, Rússia, Coreia do Sul, Suiça e Holanda – respondem por 10 % das receitas de “mercados basilares” abarca acerca de outros 100 outros países.

“Ter grupos de mercados semelhantes dirigidos por uma única pessoa criará urgência e rapidez”, disse Easterbrook, o que contribuirá para o Mc Donald’s eliminar camadas de burocracia.

A empresa, além disso, acelerar a transformação de lojas próprias em franquias, elevando o total para 90% dos restaurantes até 2018, frente aos 81% atuais, abrindo, ao mesmo tempo, 1 mil novas lanchonetes ao ano. “A companhia não pode ignorar o que os clientes estão dizendo, quando o recado está claro – nosso desempenho não está bom”, disse Eaterbrook.

O executivo já tinha anunciado uma série de medidas destinadas a revitalizar a marca, como remodelar o complicado cardápio da rede, realizar novas campanhas de marketing e reduzir novas campanhas de marketing e reduzir o uso de antibióticos no frango servido.

matéria publicada no jornal Valor 5 de maio de 2015.