English Version

DESEJO SATISFEITO

11/05/2015

Um apartamento menos segmentado, descontraído e bem iluminado: a configuração dos sonhos de um jovem morador.

A planta original deste apartamento construído em 2974, na Vila Nova Conceição, era segmentada demais para os planos de seu atual proprietário. A ideia dele era ter um espaço amplo, sem divisões entre a cozinha e o estar. E, o mais importante, que fosse bem iluminado.

Na formatação antiga, que contemplava sala e cozinha apertadas, três dormitórios e dois banheiros, a luz que vinha das janelas não se espalhava pelos ambientes de forma adequada. A solução então foi começar uma obra para reformular os espaços e resolver outro problema do imóvel, a falta de ventilação. “Ele queria aproveitar a área do apartamento e deixar o máximo de possível, a falta de ventilação. “Ele queria aproveitar a área do apartamento e deixar o máximo de espaço possível. O apartamento tem 96 m² e não parecia, de tantas paredes que estavam pelo caminho. Recriamos essa amplitude e abrimos o lugar”, diz Aiê Tombalato, arquiteta que tocou o projeto.

Depois de reformado, o apartamento conta agora com uma suíte, sala e cozinha integradas, e um espaço que serve de escritório, mas que pode vir a tomar outra forma no futuro. “Como o proprietário é jovem, separamos esse espaço, que hoje abriga móvel do computador e uma prateleira com livros, para que no futuro ele possa fazer outra suíte”, explica Aiê.

“A luz, tão almejada pelo morador, agora consegue se espelhar por todos se espalhar por todos os cantos do apartamento.

Como o apartamento já havia passado por intervenções algumas vezes por antigos moradores, não era possível identificar quais revestimentos eram originais no imóvel, exceto o piso de parquet de madeira que havia sio mantido na área dos quartos. Mesmo assim, preservar ao máximo os materiais originais também estava nos planos da arquitetura. “Conservamos e restauramos o piso de madeira onde era necessário e estendemos a aplicação dele para a sala toda. Nas áreas molhadas, aplicamos um revestimento cimentício”, comenta. Box, para criar unidade no ambiente, a arquiteta usou porcelanatos que imitam cimento queimado.

Na área d living, a bancada da cozinha foi construída com concreto, e depois de pronta recebeu tratamento de verniz impermeabilizante. Os pilares e as vigas do estar foram descascados, já que a ideia era criar um ambiente, mais despojados e descontraído. “Ainda assim, depois de descascar os pilares optamos por uniformizar a textura do concreto. Nossa intenção era conseguir uma aparência mais uniforme.”

Um dos pontos altos da decoração do living foi descascar a parede principal, deixando á mostra os tijolos originais. Mas, logo se percebeu, nem todos eles estavam em boas condições. Alguns foram perfurados pelos antigos moradores e outros substituídos por placa de concreto. Mesmo assim, o desejo de contar com uma parede descascadas continuou de pé. “Revestimos a parede com peças de demolição, o que trouxe o efeito que buscamos.”

Na decoração, elaborada com poucos móveis, peças descontraídas completam os planos de criar um ambiente informal. “A luz, tão almejada pelo morador, agora consegue se espalhar por todos os cantos do apartamento”.

Depois da reforma, o apartamento ganhou espaço para um escritório. O living foi equipado com mesa de jantar e cadeiras da A Loft Of Brasil.

Vistar do estar, agora bem iluminado da luz natural.

Área do estar com sofá da Saccaro.

No quarto, cabeceira da cama da Tora Brasil.

Banheiro com revestimento cimentício e louças da Deca.

matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo em 29 de março a 4 de abril de 2015.