English Version

OUSADIA BEM DOSADA

30/04/2015

Neste apartamento, o designer de interiores Fabio Galeazzo teve total liberdade para usar cores e materiais inusitados em portas, pisos e paredes.

A porta corrediça de aço-carbono (Serralheria Arco Íris) com pontos de solda aparentes e a parede grafitada definem o hall, até onde chegamos ladrilhos hexagonais.

Nem a experiência de 15 anos à frente de um escritório de design e arquitetura torna instantâneo o processo de criação. É preciso labutar. “Meu prazer está nos revestimentos. Fico pensando, pensando, e, então, surge a ideia que orienta a combinação de cores, texturas e padrões”, diz Fabio Galeazzo. Neste apartamento paulistano de 250 m², onde vivem um casal e sua flha, de 7 anos, não foi diferente. Sabe-se lá como, quando planejava os acabamentos para o imóvel comprado na planta, o designer de interiores produziu um encontro fictício entre o paisagista Roberto Burle Marx (1909-1994), cujo nome foi emprestado ao parque vizinho do prédio, e a grife Missoni. Um encontro de estilos, claro, em que a marca italiana de moda trouxe seu típico zigue-zague, enquanto os jardins e as telas do brasileiro, também artista plástico, sugeriram tonalidades e arranjos. Dessa confuência nasceu o marcante piso de ladrilhos hidráulicos hexagonais. Como nos projetos de Burle Marx (em que as nuances não se misturam, mas formam blocos bem definidos), aqui os seis tons eleitos traçam faixas diagonais que, depois de passearem pela área social, espraiam-se até a cozinha. Nela, os ladrilhos cinza governam.“Quis imprimir certa cara de estufa no apartamento, já que ele se volta para o parque”, explica o profissional. “As paredes, livres de rodapé, levam cimento queimado, e as divisórias entre sala, espaço gourmet e cozinha empregam ferro delgado, pintado de preto. ”Nesse último ambiente, quem deu as cartas foi o morador, dono de restaurante. Ele encarregou Fabio de conceber uma ilha grande o bastante para somar cooktop a área de trabalho e balcão – tudo desenhado para promover a praticidade, até a localização da geladeirinha de cervejas, que fica à vista dos convidados a fim de que eles mesmos se sirvam. Bom jeito de fazer as pessoas se sentirem em casa, como um chef sabe que deve ser.

O Silestone magenta (SLF Mármores) destaca-se na cozinha predominantemente cinza. Com seu tom chamativo, presente na ilha, na bancada e na parede da pia, o material dialoga com o piso multicolorido da área social.

“O projeto usa a cor como elemento estruturante da proposta de integrar os ambientes”.

O jogo de portas de perfis de ferro e vidro acidato cerca a cozinha e o espaço gourmet ao lado dela. É possível abrir todas e obter uma só área, conectada à sala e à varanda.

Sextavados, na medida de 20 x 20 cm, os ladrilhos hidráulicos da RochBeton cobrem o chão do living, protegido spor resina e cera. As paredes receberam revestimento acrílico da linha Cimento Queimado (Terracor, ref. 933).

Para garantir o desfrute da paisagem, não há cortinas, apenas telas solares. Acima do sofá, arandela dupla do francês Serge Mouille (1922-1988). Note a poltrona dos anos 50, com tecido estampado – o estofado pertenceu à avó da moradora.

Na falta de espaço para uma escada convencional, o designer projetou esta peça de chapa de aço cujos degraus alternados e inclinação acentuada caracterizam o modelo santos-dumont.

Tábuas de bambu (Bamboofloor) emprestam toque confortável ao piso da área íntima. Atrás da cama, papel de parede da Regatta Tecidos.

No banheiro da suíte principal, o nanoglass branco (SLF Mármores) estende-se por todas as superfícies. Metais da Deca.

O luxuoso lavabo surpreende em meio ao conjunto. O efeito é resultado do pórtico de mosaico italiano da Bisazza – a estampa Silhouette A leva a assinatura do Studio Job, da Bélgica.

Matéria publicada na revista Arquitetura & Construção por Cristiane Teixeira em abril de 2015

Projeto - Galeazzo Design.

Fotos - Lufe Gomes.