English Version

BANHEIROS DE ESTRELA

27/04/2015

A safra 2014 da Casa Cor apresentou projetos glamourosos, repletos de ideias para você se inspirar. Confira, neste recorte especial, ambientes de destaque expostos em diversas cidades.
O tecido posicionado sobre a estrutura de bambu tramado se encarrega de filtrar a luz natural que chega pelo telhado translúcido (Brasilit). Além disso, o recurso ajuda a diminuir a propagação de calor.

Muitos tons de cinza.

Assinado pela carioca Gisele Taranto, o Loft Tropical Deca, na Casa Cor Rio, ficou um luxo! Sem excesso e com ares industriais, o lugar convida ao relax em meio ao Tecnocimento (Ekko) de piso, paredes e bancada. A banheira de limestone e a base para a dupla de cubas revelam o traço limpo da arquitetura.

Passado recuperado.

Pensada para um morador cosmopolita, a sala de banho da suíte concebida pelas arquitetas Roberta Moura, Paula Faria e Luciana Mambrini na Casa Cor Rio reúne lembranças de viagens, obras de arte e peças de garimpo. “Forramos as paredes de pastilhas (Ekko), o que reforçou a atmosfera retrô”, descreve Roberta. A banheira de estilo vitoriano é da Santa Sofia, e as louças e os metais de visual antigo, da Deca. Instaladas no supor te de ferro, as cor tinas de linho (Cortinaria) delimitam a área entre quarto e banheiro e, assim como a moldura dos espelhos, reforçam o astral de outrora.

Suavidade no spa.

Com proposta minimalista, a sala de banho projetada pela arquiteta Letícia Finamore na mostra do Espírito Santo investe em tons claros e metais dourados. Colocado sobre o piso de porcelanato, o degrau de mármore perlino bianco (MGP Granitos) demarca o canto do chuveiro, cujo deque de madeira agrada aos pés. A iluminação favorece o clima de tranquilidade. O espelho cria um desenho interessante na parede do fundo e ainda dá a sensação de profundidade. Fixado nele, o supor te de metal deixa as toalhas à mão para quem utiliza a ducha.

Luzes em cena.

Clean e com iluminação inusitada – um caminho de lâmpadas fluorescentes com o reator embutido –, o quarto de Junior Piacesi na Casa Cor Minas Gerais surpreende pela delicada maneira com que delimita a área da banheira, valendo-se de uma elevação no piso. “O modelo solto (Vallvé) transmite elegância. Sob ele, o compensado impermeável resiste à umidade”, explica. O chuveiro e o vaso ficam isolados e protegidos dentro de boxes de vidro temperado. Assim, a bancada da pia, ao centro, pode ser utilizada a qualquer momento.

Paisagem encantadora.

O lavabo concebido por Rogério Menezes na edição baiana soma a robustez do monobloco de mármore negro (Pavimenti), que acolhe a cuba, com a leveza do espelho emoldurado de alumínio. Paredes envidraçadas deixam entrar a luz natural ao mesmo tempo que revelam a natureza do entorno. A aspereza das diferentes texturas de pedras utilizadas para revestir piso e bancada, combinada com o dourado fosco dos metais, confere tom elegante ao lavabo.

Dois mundos em um.

A mineira Angélica Araújo uniu a atmosfera do campo à alta tecnologia para criar este aconchegante espaço. A bancada (Dekton Keranium, da Cosentino), as louças e os metais (Deca) trazem nuances escuras numa referência às montanhas de Macacos, na região metropolitana de Belo Horizonte, ao passo que a iluminação bem marcada e com múltiplas funções remete ao que há de mais moderno. No piso e nas paredes, a cerâmica com textura rochosa (modelo Infinity Stone Bianco, à venda na Terra Tile) acentua o clima rústico delineado pela profissional.

Requinte despretensioso.

Elementos sofisticados e revestimentos retrô compõem a suíte pensada para uma jovem, projeto da arquiteta Vanessa de Barros na Casa Cor São Paulo. “Optei por papel de parede com detalhes brilhantes (Orlean) emoldurado de frisos de gesso. Nas louças, como a banheira (Cada Canto), deixei prevalecer o estilo clássico”, afirma. A elevação do piso transmite a sensação de estar em outro espaço, o que permitiu à arquiteta usar a cerâmica hexagonal (Magna Hexa Cement Geo, da Colormix) em vez das tábuas corridas.

Matéria publicada na Casa Claudia em fevereiro de 2015.