English Version

DESIGN: CRIAÇÕES COLETIVAS

20/03/2015

A troca de ideias é, desde sempre, um elemento fundamental para o desenvolvimento e para o amadurecimento de uma sociedade. Não por acaso, uma das primeiras técnicas de restrição das ditaduras é o controle dos jornais e das rádios e a proibição de formas de agrupamento. As pessoas são “animais sociais” e, quando estão juntas, levadas, evidentemente, por uma vontade positiva de conhecer e de se conhecer, conseguem criar coisas boas. O filósofo e escritor Bertrand Russell dizia: “A educação deveria inculcar a ideia de que a humanidade é uma só família com interesses comuns. E, como consequência, a colaboração é mais importante do que a competição”, Desse modo, a cooperação no trabalho, em geral, e nas profissões criativas, em particular, gera projetos interessantes, que não são simplesmente a união das ideias de cada uma das pessoas que está colaborando, mas são alguma coisa a mais.

No design, o trabalho e equipe não é tão fácil de ser encontrado, porque a natureza da profissão costuma levar o designer a ter um comportamento narcisista e um forte ego Desenvolvi algumas criações minhas em parceria com colegas e pude ver que o resultado foi ótimo, com certeza diferente daquele que teria obtido sozinho, essas colaborações, posteriormente, influenciaram positivamente outros projetos que desenvolvi. Discutindo, ás vezes energicamente, com amigos, talvez um tempo para a finalização de um projeto se estenda um pouco, talvez seja necessário chegar a alguns meios-termos, talvez seja necessário aprender a aceitar o pensamento dos outros, mas, no final, consegue-se produzir um objeto mais harmonioso e completo, aprende-se pelas experiências dos outros (no acaso de colegas estrangeiros, também se conhece diferentes culturas), e se gera uma conexão que ai ainda além de um projeto em si. Os objetos que nascem de colaborações são únicos, nos quais cada pessoa que neles atuou pode ver como as outras o influenciaram e, muitas vezes, ajudaram-na a percorrer caminhos diversos e a ousar mais.

Para a profissão do designer, a união para compartilhar experiências e conhecimentos é particularmente importante, por que pode auxiliar muitos designers a se ajudarem e a criar um espírito de “time” e de corporação que pode reforçar essa figura profissional diante da indústria.

Com meus recentes projetos aprendi muito. Deles nasceram novas ideias de exposições coletivas, por isso gostaria de manter a parceria com designers italianos e estrangeiros. Se posso dar um conselho, então, é de continuarmos a desenvolver projetos pessoais, mas também de fazermos outros em cooperação, o que não nos leva a perder personalidade, e sim, pelo contrário, ajuda a sermos mais conscientes da nossa própria personalidade, a melhorá-la e a respeitá-la juntamente com a dos outros.

Matéria publicada na revista anuário de Tendências na Casa Claudia 2015 por Giorgio Bonaguro.