English Version

POUCO ESPAÇO, MUITOS DILEMAS

09/03/2015

Nem todos que compram um apartamento pequeno num prédio ainda em obras conseguem avaliar, pelos desenhos, as exatas dimensões e proporções dos ambientes. Veja aqui os arranjos comuns e os principais desafios vistos atualmente nas plantas ultracompactas.

EVOLUÇÕES SUTIS

Sim, elas existem algumas construtoras oferecem plantas mais bem trabalhadas para metragens reduzidas

Banheiros já aparecem fragmentados, com acesso independente para seus diferentes equipamentos, permitindo o uso simultâneo com privacidade.

Muitas cozinhas são entregues abertas para a sala. “Ganham-se ventilação e profundidade, além de um lugar mais agradável do que um cubículo fechado, sem vista”, diz o arquiteto Diego Revollo.

ESPECIAL MINIAPARTAMENTOS

De janeiro a novembro de 2014, os Lançamentos com um dormitório na capital paulista cresceram mais de 21% em comparação ao mesmo período de 2013.

*FONTE EMPRESA BRASILEIRA DE ESTUDOS DE PATRIMÔNIO (EMBRAESP)

“Se cresceram os lançamentos de um quarto em São Paulo, ocorreu ainda, a desvalorização de 1,55% no valor médio por m² das unidades de quatro dormitórios”

LUIZ PAULO POMPÈIA-DIRETOR DA EMBRAESP

POUCO ESPAÇO, MUITOS DILEMAS

Nem todos que compram um apartamento pequeno num prédio ainda em obras conseguem avaliar, pelos desenhos, as exatas dimensões e Proporções dos ambientes. Veja aqui os arranjos comuns e os principais desafios vistos atualmente nas plantas ultracompactas.

POR SILVIA GOMES

“hoje, os imóveis exibem varanda ampla, mas perderam metros quadrados no interior. Em diversos casos, se você não fecha o terraço, fica quase sem sala”

FÁBIO ABREU DE QUEIROZ- ARQUITETO

VIVER EM MENOS DE 45 M²

Em São Paulo, uma das cidades mais adensadas do País, a venda de imóveis residenciais novos com área inferior a 45 m² foi de: (216 unidades 2013) e (1.095 unidades em 2014)

Houve o aumento de 407 % em apenas uma ano**.

**FONTE SINDICATIVO DAS EMPRESAS DE COMPRA, VENDA, LOCAÇÂO E ADMINISTRAÇÂO DE IMÒVEIS RESIDENCIAIS E COMERCIAIS DE SÂO PAULO (SECOVI-SP)

FIQUE ATENTO!

Arquitetos apontam certas pegadinhas nos folhetos de divulgação dos apartamentos enxutos

CADÊ O ARMÀRIO?

È comum a construtora prever nichos com menos de 60 cm, o que não acomoda o varão – só prateleiras e gavetas. E o folder não traz medidas. Meça sua cama e calcule um guarda-roupa de 60 cm de profundidade e uma circulação do mesmo tamanho”, ensina Diego.

PÈ – DIREITO MAIS BAIXO

“ele tem vindo achatado, com 2,60 m na laje, contra os 3 m de antigamente”, comenta Diego. Mas isso nem sequer aparece nos desenhos. Prepare-se para dispensar o forro de gesso a fim de compensar essa diferença e banir a sensação de sufoco.

PORTAS DEMAIS

O formato da sala normalmente se aproxima do quadrado. “o problema para a circulação e disposição dos móveis, além do pouco espaço, está no excesso de portas abertas ali para todas as direções – Hall, cozinha, varanda e quartos”, alerta o arquiteto Felipe Anitelli.

PROBLEMAS E SOLUÇÕES
Arquitetos comentam as configurações mais recorrentes vistas nos empreendimentos atuais e sugerem melhorias

VARANDA MAIOR DO QUE A SALA

O estar tem diminuído por causa da popularização do terraço. “Vemos casos em que a representação da sacada nos faz crer que ela é a própria sala. Às vezes, não só é maior do que o estar como também supera toda a zona social “, diz Felipe Anitelli, do Núcleo de estudos de habitares interativos da universidade de São Paulo (Nomads, USP).

Após a mudança, a escolha dos moradores é quase unânime: o fechamento. “Mantenha um trecho para ter respiro nivele o piso no restante se o condomínio permitir”, recomendada a arquiteta Fabiana Stuchi.

QUARTO ESTREITO

O dormitório ganhou importância. “Ele passou a acumular equipamentos, móveis e atividades, de trabalhar a ver TV, numa curva contraditório á diminuição da área”, afirma Felipe. Como saída para obter profundidade e luz, muitos projetos abrem esse cômodo para o resto. “há maneiras de resguardá-lo sem fechar.

Vão desde a porta de correr, que libera parte do local, até a cabeceira-divisória com função de armário ou estante, posicionada entre sala e quarto como um biombo”, indica Fabiana.

COZINHA-CORREDOR

Aqui, pense em volume em vez de área. “Ocupe as paredes com marcenaria.

Prateleiras liberam a bancada”, ensina Fabiana. Na lavanderia, a dica é apostar na unidade de acabamentos.

“Padronize o piso e a cor dos armários, assumidos como extensão da cozinha”, explica Diego Revollo.

MICROBANHEIRO

Como limpar um cômodo menor do que 1,50 m²? “O banheiro encolheu tanto que não dá para agachar e faxinar atrás do vaso. Você bate a canela, o cotovelo... Do ponto de vista comportamental, esse ambiente abarca hábitos a que não consegue mais atender, como ler ou só relaxar”, afirma o arquiteto Fábio Abreu de Queiroz.

“Ás vezes, o apartamento tem 40 m²,E o cliente ainda quer um lavabo. Nossa proposta está em otimizar o uso pela separação dos equipamentos – pia, sanitário e chuveiro”, conta Fabiana.

Outra ideia é resgatar a clássica solução do armário atrás do espelho, além da prateleiras em cima da bancada. Se falta luz lá dentro, um rasgo de vidro na parede acima da porta pode ajudar.

Publicada em fevereiro de 2015 na revista arquitetura & construção por Silvia Gomez