English Version

FIM DE SEMANA PERFEITO

04/03/2015

Uma Transformação radical tornou este conjugado perfeito mais prático e arejado, qualidade medida para os pequenos períodos desfrutados pelo jovem casal paulista no Rio de Janeiro

Quando convocaram a designer Marcella Bacellar e a arquiteta Renata Lemos, os proprietários já tinham demolido praticamente todas as paredes do apartamento de 27m², situado a poucos passos da Praia do Arpoador, ponto privilegiado da orla carioca. “Compramos o imóvel há mais de dez anos e ocupávamos de modo improvisado. Moramos em São Paulo e passamos apenas aqui”, conta o comerciante Daniel Covas, casado com a administradora Andrea, ambos de São Bernardo do Campo. Foi depois de uma temporada de Carnaval que os dois resolveram investir numa obra capaz de trazer mais qualidade ao espaço compacto. “contratamos um pedreiro por impulso. O intuito era colocar abaixo as Divisões. As profissionais chegaram nessa etapa e definiram a repaginação e os revestimentos”, Lembra Daniel.

Jovem, ainda sem filhos e adepto do estilo descontraído da zona sul da capital fluminense, o casal concordava com as ideias de integração máxima e visual contemporâneo. “Precisávamos de um lugar funcional dotado de cozinha compacta mas aberta para o estar”, observa Andrea. Ela e o marido não se importaram nem de dispensar a mesa de jantar – o balcão com assentos altos é suficiente para os dias informais transcorridos aqui. Tal desapego favoreceu a circulação, que se tornou mais livre.

Com carta branca para repensar a distribuição, as especialistas colocaram o banheiro junto da entrada a delimitaram uma atraente área de convívio. “A porta entre sala e quarto se recolhe quase completamente. Já a marcenaria foi planejada para ser básica e leve. Não poderíamos barrar a única entrar entrada de luz, vinda da janela do dormitório, com excesso de móveis e divisórias”, explica Renata. Em relação aos acabamentos, uma regra: uniformidade.
“Manter o mesmo piso é uma dica infalível para criar identidade e amplitude em moradas pequenas”, conclui.

Matéria pela revista Arquitetura & Construção por Simone Raitzik