English Version

MERCADO PAULISTA DE ESCRITÓRIOS SÓ RETOMA CICLO DE ALTA EM 2017

10/02/2015

O mercado paulistano de locação de escritórios comerciais tende a ter, em 2015, mais um ano de ajustes, embora não se espere quedas acentuadas de valores. Na avaliação de especialistas do segmento, o mercado voltará a se acomodar em 2016 e, somente a partir de 2017, iniciar novo ciclo de alta. Neste ano, os preços de aluguel por metro quadrado recuaram em decorrência da entrada de volume expressivo de novo estoque de escritórios em São Paulo e de menos demanda por expansão de áreas.

"Muitos prédios foram entregues ao mesmo tempo, e a economia piorou", diz o presidente da Jones Lang LaSalle, Fábio Maceira. Como consequência do aumento da oferta, os preços de locação caíram entre 10% e 15% em São Paulo, neste ano, acumulando queda de 20% a 30% em 2013 e 2014, segundo o presidente da CBRE, Walter Cardoso.

Desde o ano passado, quando a oferta de edifícios de alto padrão aumentou sem acompanhamento da demanda, novas áreas têm chegado ao mercado com preços de aluguel próximos aos de imóveis com características menos atualizadas. Esse cenário e a disposição de proprietários em serem mais flexíveis ao conceder descontos e prazos de carência para o início do pagamento dos aluguéis têm levado ocupantes ao movimento de "fly to quality", ou seja, migração para espaços de mais qualidade.

Na prática, como a demanda não aumentou, os novos negócios de locação passaram a resultar, portanto, de substituição e não de expansão, e a vacância cresce, principalmente, nos prédios de menor qualidade. Em 2015, esse movimento pode levar a uma nova queda dos preços médios de locação pedidos no mercado de São Paulo. "Proprietários que resistiam a baixar os preços vão reduzi-los para a média de mercado", diz o vice-presidente de mercado de capitais da Cushman & Wakefield, Marcelo da Costa Santos. Nos edifícios de padrão mais elevado, porém, os valores tendem a ficar estáveis, para a maioria dos especialistas.

Matéria publicada no jornal Valor em 29 de dezembro de 2014 por Chiara Quintão.