English Version

7 BANHEIROS QUE SÃO VERDADEIRAS SALAS DE BANHO

21/01/2015

O estilo muda, mas a essência é a mesma na caprichada seleção de ambientes – com diferentes soluções, metais e acabamentos – que apresentamos a seguir

Que tal uma demorada sessão numa tina de madeira cheia de água quentinha? Não há como imaginar nada melhor para relaxar do que se afundar num ofurô e deixar o tempo fluir. Essa ideia permeia a sala de banho de 14 m², projetada pelo arquiteto Naoki Otake e com janelão que desvenda a paisagem. No piso, réguas de cumaru e placas de ardósia se aliam a seixos rolados pretos (Palimanan), elemento típico da arquitetura japonesa. Toalhas da Collectana.

Abundante, o branco amplia a luminosidade natural do lugar. Nesta alva sala de banho de 16 m², piso e paredes trazem placas de porcelanato de 60 x 60 m (compradas na Portoro). Estrela da composição, a banheira monaco (Ibiza Acabamentos) ganhou bica de piso (D35, da Punto). De um lado dela, o arquiteto Diego revollo dispôs o boxe com um par de duchas de teto (Deca). Do outro, cabine com vaso sanitário. Frente a frente, bancadas idênticas de nanoglass.

A dobradinha de branco e grafite dá o tom nesta releitura contemporânea do estilo clássico. Resistentes à umidade, lambris de poliestireno Santa Luzia Molduras (Única Laminados) cobrem parte das paredes, que, de resto, foram tingidas de cinza-escuro (suvinil, ref. caviar, r398). A bancada é de mármore branco piguês, finalizada com marcenaria laqueada. Para arrematar, a arquiteta maria Lavinia distribuiu pastilhas sextavadas (mazza Cerâmicas) pelo piso do banheiro de 10 m².

Aqui, som ambiente e iluminação podem ser acionados à distância. Neste cômodo de 16 m², concebido pela designer de interiores Fabia toquet Pace, recursos tecnológicos (Troiano’s) e peças de design se misturam a elementos naturais. metais desenhados pela espanhola Patricia Urquiola para a Hansgrohe (Metalbagno) fazem bonito ao lado da marcenaria (Ornare), com bancada e cubas embutidas de Corian (DuPont). Na parede, pedra vulcânica hijau (Palimanan). Projeto estrutural da arquiteta Suzana Requião.

Mistura de tonalidades e texturas confere descontração ao ambiente. Revestida da mesma pastilha de vidro (C&C) das paredes, a banheira divide com a ducha o compartimento no banheiro de 7 m², idealizado pela arquiteta Ana Paula de Castro. O charme vem do ladrilho hidráulico (Ladrilar) no piso. Já o laminado uva do gabinete (Marcenaria Girotto) atenua o ar sisudo do concreto da bancada.

O corredor entre armários frente a frente acomoda a bancada. Centralizada na passagem, a ilha de mármore crema marfil (Villa della Pietra) aproveita bem o espaço entre os móveis. Autor da proposta de 12 m², o arquiteto Toninho Noronha, que teve a colaboração do sócio Renato Andrade, dispôs os misturadores nas laterais da peça e investiu na iluminação: as luminárias articuladas do lighting designer Maneco Quinderé acompanham o movimento dos espelhos. Para complementar, marcenaria clara de nogueira (Grupo Brumatti).

O equipamento de concreto organiza todo o espaço. Com espírito de estância termal, esta sala de banho de 20 m² prima pelo volume escultórico que setoriza banheira, boxe e bancada (o concreto foi finalizado com silicone incolor). Aberto para o quarto do casal, o lugar, bolado pelo escritório Triptyque, apresenta piso de resina. Mais do que propor quietude, sua função é social – ser ponto de encontro dos moradores, que passam o dia fora de casa. Toalha amarela da Zucchi Home Fashion.

Matéria publicada na revista arquitetura & construção em setembro de 2014 po Deborah Apsan e Denise Gutavsen.