English Version

SETOR DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO TERÁ EM 2014 A MENOR ALTA EM DEZ ANOS

08/12/2014

O varejo de materiais de construção deverá terminar 2014 com um crescimento bem abaixo da projeção de 7% que havia sido feita no início do ano pela Anamaco (associação da área).

Após registrar estagnação nas vendas em novembro, a entidade revisou a estimativa para baixo pela segunda vez e agora calcula que o aumento será de 2%.

"Esse percentual dificilmente vai mudar em dezembro. As vendas para as reformas de fim de ano já ocorreram" , diz Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

Se o cálculo se confirmar, será o pior crescimento dos últimos dez anos para o setor. "Mais baixo até que o registrado na crise de 2009. Mesmo assim, em vista do PIB previsto para este ano, não será de todo ruim."

Em julho, depois da Copa, a entidade já havia reduzido a estimativa para 3,5%.

Mais do que a desaceleração da construção civil no país, a perda de dias úteis por causa do Mundial e das eleições foi a principal causa da evolução menor das lojas de materiais, segundo Conz.

"A diminuição dos lançamentos imobiliários não impacta diretamente o nosso setor, quem sente mais são os fabricantes de materiais de construção" , explica.

Entre os segmentos que apresentam quedas nas vendas em novembro, estão os de revestimentos cerâmicos (5%) e cimentos (3%).

Com cerca de 145 mil lojistas no país, o setor movimentou R$ 57,4 bilhões em 2013.

Matéria publicada no jornal Folha de São Paulo em 07 de Dezembro de 2014 por Maria Cristina Frias