English Version

VAREJISTAS ESPERAM ACELERAR VENDA COM COLEÇÕES ASSINADAS

17/11/2014

A holandesa C&A, maior companhia de varejo de moda no país, e a Riachuelo, terceira do setor, vão reforçar as vendas de fim de ano com coleções desenvolvidas em parceria com grifes internacionais de luxo. A C&A apresenta em novembro uma coleção da estilista britânica Stella McCartney. A Riachuelo, do grupo Guararapes, terá uma coleção com a grife italiana Versace. A aposta em grifes de renome não é uma unanimidade entre as grandes varejistas de moda. A Renner, segunda maior competidora do setor, prefere concentrar-se nas coleções desenvolvidas por sua própria equipe de estilistas. A Lojas Marisa, quarta colocada no setor, também não possui parcerias com grifes ou estilistas de renome. Para a C&A e a Riachuelo, essas coleções se vendem mais rapidamente que a média das coleções tradicionais das lojas e atraem um público novo de consumidoras, ampliando a visitação das lojas. A C&A lança neste ano dez coleções com grandes estilistas, ante 11 apresentadas no ano passado. A Riachuelo fez em 2013 mini-coleções com dez estilistas. Neste ano, apresenta três coleções. Se, por um lado, essas parcerias atraem um público novo e aceleram vendas, por outro, exigem investimentos altos em marketing e não necessariamente elevam o lucro das redes. A C&A não divulga seus resultados financeiros, mas, segundo dados da consultoria Euromonitor, a empresa cresce no ritmo do mercado, enquanto Riachuelo e Renner ganharam participação de mercado no último ano. A Riachuelo fechou 2013 com alta de 4% em receita líquida, para R$ 4,07 bilhões, e de 15,1% no lucro líquido, para R$ 420,6 milhões. No primeiro semestre deste ano, com menos coleções de estilistas, a receita cresceu 18,7% e o lucro líquido, 33,8%. A Renner, que só atua com coleções próprias, fechou 2013 com aumento de 13,1% na receita líquida, para R$ 3,9 bilhões, e de 14,6% no lucro líquido, para R$ 407,4 milhões. No primeiro semestre deste ano, cresceu 15% em receita e 41,6% no lucro líquido. A Lojas Marisa, por sua vez, fechou o ano passado com alta de 7,6% na receita, para R$ 3,1 bilhões, e queda de 62,8% no lucro líquido, para R$ 85,5 milhões. No primeiro semestre de 2014, a receita cresceu 9,1% e o lucro líquido caiu 69,4%. "As coleções com grifes icônicas são importantes porque atraem mais público às lojas e exercem um efeito positivo para a marca", afirmou Marcella Kanner, gerente de marketing da Riachuelo. Essas coleções são lançadas para venda em 15 dias mas, segundo Marcella, algumas peças esgotam no primeiro dia. "Estamos muito otimistas com a coleção da Versace", disse. A executiva afirmou ainda que a meta da Riachuelo não é ampliar o número de coleções, mas "fazer poucas e boas coleções". A linha da C&A a ser lançada em novembro terá peças de verão desenvolvidas pela estilista britânica Stella McCartney. A linha será composta de 50 itens de moda feminina e infantil. A C&A já havia feito uma parceria com a Stella McCartney, em 2011. "Na coleção passada, algumas peças esgotaram em poucas horas. Ficou uma sensação de que havia muito mais oportunidades a serem exploradas com a marca", afirmou Paulo Correa, vice-presidente comercial da C&A. Correa disse que o ritmo de venda é 50% mais rápido que o de coleções tradicionais, o que favorece o giro de estoque e a geração de caixa. O executivo afirmou ainda que o investimento nessas coleções é 40% maior do que o aplicado em coleções normais, mas que, ainda assim, são lucrativas. Sem citar números, Correa disse que a C&A tem mantido um ritmo de crescimento de vendas forte no país neste ano. A C&A informou que manteve o plano expansão de lojas. No Brasil a companhia é a maior no varejo de moda, com 272 lojas. Paulo Correa prevê abrir neste ano 28 lojas e inaugurar outras 28 unidades em 2015. A Renner abriu 15 unidades neste ano, saindo de 217 para 232 lojas. A Riachuelo abriu 21 unidades, chegando a 233 lojas no país. A Lojas Marisa abriu seis unidades, chegando a 407 unidades.

Matéria publicada no jornal Valor Econômico em 08 de Outubro de 2014