English Version

A NOVA SAFRA DE TINTAS

27/08/2014

Além de restaurar e colorir os ambientes, elas facilitam a limpeza das paredes, impermeabilizam, evitam fissuras, combatem bactérias e fungos. Conheça os lançamentos e saiba como escolher o tipo certo para cada espaço.

Desde a chegada dos sistemas tintométricos na década de 1990, a multiplicação da oferta de cores não foi a única mudança que revolucionou o mundo das tintas. Elas estão cada vez mais amigas da natureza. “Hoje, 87% dos produtos são à base de água, o que diminui o uso de solventes orgânicos nas fórmulas e traz ganhos ambientais por reduzir a emissão de VOCs, os compostos orgânicos voláteis”, afirma Gisele Bonfim, gerente técnica e de assuntos ambientais da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati). No quesito tecnologia, também houve avanços, especialmente no que diz respeito ao desempenho. “Tintas antibacterianas, com alta resistência a manchas e tempo de secagem reduzido, são exemplos que confirmam esse movimento”, diz Franco Faldini, diretor de marketing da Dow Coating Materials, empresa que fornece matéria-prima para o setor. Diante de tantas opções, alguns cuidados são essenciais para fazer a melhor compra. Primeiro, deve-se escolher um produto adequado à superfície – de alvenaria, metal ou madeira. Segundo critério: o local da pintura. De acordo com Gisele, muita gente acredita que os acrílicos servem para uso externo enquanto os PVAs estão restritos a áreas internas. “Isso nem sempre é verdade, pois há tintas acrílicas econômicas, ideais para dentro de casa, assim como PVAs standard e premium, bem-vindas em fachadas”, esclarece. A superfície precisa estar preparada. “Limpa, seca e sem partes soltas de reboco ou pintura velha”, orienta William Saraiva, gerente de produto da Lukscolor. Um erro comum é eleger um tom e não ficar satisfeito com o resultado na parede. “Evite esse problema testando a cor antes num trecho de 1 m²”, recomenda Karina Monaco, gerente de produto da Suvinil. Também vale respeitar as instruções do fabricante sobre diluição, intervalo entre demãos e tempo de secagem.

Lançamentos para áreas internas e externas

Acrílico Super Premium

Elimina até 99,9% das bactérias, é lavável e tem baixo odor. Da Tintas Renner, o branco fosco custa 260 reais, e o acetinado, 300 reais (18 litros).

Diacryl Tripla Ação

Esse acrílico respinga pouco e contém aditivos contra fungos e algas. Pode ser aplicado diretamente na parede mofada. Da Iquine, vale 35,90 reais (3,6 litros) e 149 reais (18 litros).

Esmalte Acqualite

À base de água, dispõe de 11 cores. Da Solventex, por 31 reais (900 ml) e 115 reais (3,6 litros).

Esmalte Sintético Futurit

Promete secagem em até 45 minutos e resiste a intempéries. Da Futura Tintas, por 46 reais (3,6 litros) e 16 reais (900 ml).

Eucatex Epóxi Bas e Água

Só para áreas internas, cobre azulejos, pastilhas, vidros, metais, madeira e pisos de cimento. Da Eucatex, custa 36,90 reais (900 ml) e 139,90 reais (3,6 litros).

Cuidados com portas, portões e rodapés

Superfícies de madeira

Verniz, stain, esmalte e tinta a óleo podem cobrir portas, janelas e rodapés. “Eles evitam rachaduras, envelhecimento precoce, desbotamento e deterioração, além de repelir a água e combater fungos”, explica Gisele.

Superfícies de metal

Em esquadrias metálicas internas e externas, convém adotar esmalte sintético ou tinta a óleo. Antes, remova pontos de ferrugem e lixe a área. “Também indico aplicar fundo preparador anticorrosivo”, afirma Franco.

Proteção contra maresia

Locais com umidade, maresia e incidência de sol intenso requerem esmaltes e vernizes resistentes, com proteção microbiológica, chamada algicida. “Sugiro usar esmaltes premium e vernizes com filtro solar”, diz Gisele.

Entenda o que dizem as embalagens

Com o intuito de facilitar a compra, a indústria identifica os produtos por categoria: a econômica, indicada apenas para áreas internas; a premium, ideal para fachadas; e a standard, que pode cobrir qualquer parede. Essas informações constam da lata, assim como os tipos descritos a seguir.

Látex PVA ou Acrílico

A sigla PVA representa o acetato de polivinila, presente na fórmula. Por sua vez, o látex acrílico emprega resina acrílica, que assegura maior impermeabilidade. Os dois tipos servem para dentro e fora de casa conforme a categoria a que pertencem.

Esmalte

O solvente aguarrás faz parte da composição, que risca pouco, tem alta durabilidade e vem nos acabamentos brilhante, acetinado e fosco. O esmalte serve para forrar madeira e metal, tanto de áreas internas quanto de externas, e é classificado como standard.

Epóxi

Dilui-se em solventes e se combina a catalisadores, que auxiliam na secagem. Por criar uma camada resistente a sujeira e umidade, é possível aplicá-lo em pisos e paredes de cozinhas e banheiros. As versões à base de água dispensam catalisador.

Novidades para fachadas e áreas externas

Tinta Ecossílica

É feita de insumos naturais e impede a proliferação de micro-organismos. Da Kröten Ecotintas, vale 72,50 reais (5 kg) e 362,50 reais (25 kg).

Suvinil Proteção Total

Acrílico composto de filme 100% elástico, que acompanha dilatações. Resiste a mofo e maresia. Da Suvinil, custa a partir de 84,70 reais (3,6 litros) e 322,90 reais (18 litros) na Casa Toni.

Metalate x Elastic

Esse acrílico previne o surgimento de fissuras. Da Sherwin-Williams, vale, em média, 63 reais (3,6 litros) e 248 reais (18 litros).

Top 10 Acrílico Ultra Premium Plus

Cria película que diminui o acúmulo de sujeira e o desbotamento. Da Lukscolor, sai por 78 reais (3,6 litros) e 290 reais (18 litros).

Proteção Sol Chuva

Possui agentes antimofo e também é elastomérico. Da Coral, custa 69 reais (3,6 litros) e 285 reais (18 litros).

Matéria publicada na revista Casa Claudia em Julho de 2014