English Version

CENÁRIO INCERTO PODE REDUZIR LANÇAMENTOS DA SETIN ESTE ANO

06/06/2014

A Setin Incorporadora poderá encolher seus lançamentos neste ano em relação ao Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 1 bilhão de 2013 e fechar 2014 com R$ 700 milhões. "O valor lançado em 2014 pode chegar a R$ 1 bilhão, dependendo da aceitação do mercado. Neste ano, estamos mais preocupados com o calendário e com o mercado do que em fazer um maior volume", diz o presidente da empresa, Antonio Setin.
A rentabilidade dos empreendimentos continua a ser prioridade para a incorporadora e, num contexto de mais cautela por parte dos potenciais clientes, a preocupação com a velocidade de vendas aumenta. "Os compradores estão mais racionais e menos impulsivos", afirma Setin.
Ele ressalta que há situações em que o aumento de volume resulta mais em perda de escala do que em ganho, principalmente, quando a empresa atua em regiões diferentes, sem conseguir acompanhar os projetos "de perto". Fora da Grande São Paulo, de São José dos Campos e da região de Campinas, a Setin incorpora em parceria com a Helbor, que fica responsável pela gestão de vendas e das obras. A Setin tem a gestão dos projetos localizados a distâncias em que seja possível chegar de carro em menos de uma hora e meia.
Na avaliação de Setin, há demanda para as unidades com esse perfil compacto em regiões bem servidas de transporte público. Os três projetos são destinados a potenciais moradores de classe média-alta e a investidores. O preço por metro quadrado será de R$ 11 mil a R$ 15 mil. "O edifício que vamos erguer na Praça da República será o mais sofisticado que já fizemos", conta Setin.
A incorporadora aposta que haverá procura pelas unidades por uma parcela de quem trabalha no centro, mas mora em regiões mais afastadas, e pelos que já vivem na região central, mas querem migrar para prédios com portaria e lazer. "Na distância de até dois quilômetros desses empreendimentos que vamos lançar, há 14 estações de metrô", diz. Os prédios não terão vagas de garagem para todos os apartamentos.
A Setin Empreendimentos Imobiliários foi composta a partir da parcela dos ativos que ficou de fora da venda da empresa para a Klabin Segall em outubro de 2007.
Matéria publicada pelo Jornal Valor Econômico em 5 de Junho de 2014.