SMITHSONIAN DESIGN MUSEUM DIGITALIZA 3 MIL ANO DE HISTÓRIA DO DESIGN

Design 1

O museu Cooper Hewitt, conhecido também como Smithsonian Design Museum, conta com um acervo dedicado ao campo do design que abrange trinta séculos e mais de 220 mil objetos que vem sendo continuamente digitalizado e disponibilizado em sua página online.

No site da instituição já podem ser acessados mais de 200 mil objetos, correspondendo a 90% o acervo do museu, que, embora protegidos por copyrights, podem ser usados para fins educacionais, de pesquisa e divulgação.

Design 2

Segundo o Smithsonian, o acervo é “uma espécie de documento vivo, o que significa que o desenvolvimento está em andamento” e, paulatinamente, novas pesquisas vão sendo conduzidas e acrescentadas, e o banco da dados, atualizado.

A coleção pode ser explorada através de diferentes tópicos, que incluem desde paísperíodo publicações até destaquesconservação cores.

Design 3

Com aproximadamente 30 mil acessos mensais, o acervo do Smithsonian Design Museum – que conta com seis obras brasileiras - é uma ferramenta excepcional para estudantes, arquitetos e designers que se interessam por pesquisa ou simplesmente querem conhecer mais da história desse campo.

Matéria publicada por Arch Daily em 11 de outubro de 2017

 

Publicado em Design, Móveis | Deixar um comentário

AS ESTAMPAS QUE ROUBARAM A CENA NA MAISON&OBJET 2017

As padronagens são um hit quando o assunto é decoração, e a mostra europeia apresentou lançamentos estampados que reforçam esses sucesso: confira

Com o poder de mudar a decoração dos ambientes, as estampas são recursos versáteis e fáceis de serem aplicados no dia a dia de qualquer casa. Hits do décor, as padronagens não ficaram de fora da segunda edição da Maison&Objet 2017, que encerrou seu 22º ano em setembro.

Com lançamentos em diversas marcas e com estilos para todos os gostos, os destaques da mostra europeia apresentou desde estampas florais e abstratas a modelos cromados, sucesso absoluto entre os mais moderninhos. Confira na galeria abaixo:

Matéria publicada por Casa Claudia em 10 de outubro de 2017

Publicado em Decoração, Design de Interiores | Deixar um comentário

TRIBUNAL ORAL-PENAL EM PÁTZCUARO / TALLER DE ARQUITECTURA MAURICIO ROCHA + GABRIELA CARRILLO

Rocha 1

Arquitetos: Taller de Arquitectura Mauricio Rocha + Gabriela Carrillo

Localização: Pátzcuaro, Michoacán, México

Projeto: Mauricio Rocha, Gabriela Carrillo

Colaboradores: Daniel Huerta, Juan Carlos Montiel, Giordana Rojas.

Área: 1631.0 m²

Fotografias: Rafael Gamo

Fabricantes: Novaceramic

Construção: Contrucciones Electromecánicas Industriales S.A de C.V.

Engenharia Estrutural: GRUPo SAI (Gerson Huerta)

Instalações Hidrosanitárias: ZUMA

Instalações Ar Condicionado: Instalación y Confort

Projeto Luminotécnico: DCE (Diseño Y Construciona Eléctricas)

Mobiliário: Ricardo Casas

Cliente: Governo do Estado de Michoacán de Ocampo

Rocha 2

Em 2010 surgiu a necessidade, no Estado de Michoacán no México, de começar a planejar a criação de uma nova infraestrutura para seus espaços de tribunais. O sistema de julgamentos tradicionais começaria a migrar a um sistema de oralidade que implicava não apenas num esquema completamente renovado na implementação da justiça no país, mas além disso a necessidade de criar novos espaços que permitam a correta operação deste novo sistema.

ROcha 3

Estes primeiros espaços de transição cumprem uma função dupla: por um lado, entender as necessidades atuais, já sem hierarquias e espaços de confinamento, e por outro lado, a criação de espaços flexíveis que com poucas adequações, pudessem se adaptar às novas necessidades.

Rocha 4

Para o desenho dos novos tribunais, o primeiro passo foi entender que estes operam como um sistema. Agrupar o panorama de necessidades a partir dos diferentes usos: serviços, atendimento, áreas comuns, espaços privados e públicos.

Rocha 5

Estes espaços teriam a obrigação de cumprir com uma série de elementos em paralelo: a funcionalidade, a nova operação, os fluxos de pedestres e a qualidade lumínica, térmica e acústica para as novas salas, mas também era preciso expressar transparência, igualdade, democracia, justiça e dignidade; por último, um sentimento de pertencimento ao local, a uma cultura e sociedade da qual fazem parte.

Rocha 6

Rocha 7

Enquanto a arquitetura carcerária ainda precise ser revista, a nova representação deve ser um sistema aparente, aberto à democracia e à cidadania, com percursos de luz e sombra, vento e silêncio. A proposta do projeto foi criar espaços abertos ao interior do edifício, através do qual uma parede curvilínea que contém uma circulação atua como uma grande muralha, o que permite que dentro dela sejam gerados uma série de jardins. A muralha, construída de pedra vulcânica natural do lugar, oscila entre 5 e 8 metros de altura.

Rocha 8

O projeto se desenvolve em apenas um nível térreo, em um terreno com desníveis que se divide em 4 plataformas que contém 5 pavilhões. O edifício conta com 2 salas de tribunais, assim como os escritórios administrativos e serviços necessários. Possui duas tipologias de edifício: pavilhões de escritórios e serviços com lajes inclinadas; colunas e vigas metálicas, e lajes de concreto. Salas de tribunais com estrutura metálica formada por colunas, com armadura aberta e cobertura de espuma leve.

Rocha 9

Matéria publicada por Arch Daily em 09 de outubro de 2017

 

Publicado em Arquitetura | Deixar um comentário

PRATELEIRAS PROJETADAS POR JAIME BEIRESTAIN STUDIO EM BARCELONA PODEM INSPIRAR SEU QUARTO

Prate 1

Uma ótima dica de como dar uma nova cara para o seu quarto é inovar em prateleiras, e iluminações próprias para o ambientes. Veja como essa suíte pode inspirar bastante o seu décor. Localizada no Hotel Vincee Mae, em Barcelona, os arquitetos do Jaime Beirestain Studio optaram em colocar vários pares de prateleiras nas proximidades da cama. É uma ideia muito bacana, e pode fazer com que esse espaço do seu quarto ganhe um grande destaque.

Prate 2

Outra inspiração que você pode tirar daqui é a luminosidade que as prateleiras ganharam, o que faz o ambiente ter um quê muito aconchegante. Se você reparar bem, as prateleiras ganharam uma iluminação muito parecida com a do teto. Continue ligado no E4D, por aqui a arquitetura e o design sempre estão a serviço do seu estilo de vida!

Matéria publicada por Eye4Design em 09 de outubro de 2017

Publicado em Arquitetura, Design | Deixar um comentário

QUARTO NEUTRO ASSINADO POR JOÃO ARMENTANO

No hotel Unique, entre os Jardins e o Parque do Ibirapuera, a suíte segue o projeto do prédio de Ruy Ohtake

Quarto 1

Lençóis de algodão 300 fos e peseira de lã, ambos da Trussardi, cobrem a cama.

A estadia na Suíte Champs Élysées, no hotel Unique, é perfeita para quem curte design e arquitetura: o quarto, de 110 m², repete as curvas do prédio assinado por Ruy Ohtake (um semicírculo apoiado em duas colunas de concreto).

Quarto 2

As famosas janelas redondas do edifício oferecem vista para o Parque do Ibirapuera e o mar de prédios paulistano. O living pode ser ampliado se for conectado à Suíte Premium.

Para equilibrar esse formato arrojado, o arquiteto João Armentano usou móveis de linhas retas e visual moderno no décor.

Quarto 3

A extremidade curva apoia a mesa de jantar feita sob medida. Luminária dos italianos Michele de Lucchi e Giancarlo Fassina.

O living para até sete pessoas e o endereço do hotel – entre os Jardins e o Parque do Ibirapuera – também atraem os hóspedes.

Quarto 4

Na sala de banho, a banheira de hidromassagem (Teuco) garante momentos de puro relax.

Preços a partir de 2,9 mil reais por dia.

Quarto 5

O piso de amêndola avança parede acima e faz o quarto parecer maior. Uma persiana blecaute garante conforto para as noites (e os dias, conforme o gosto do hóspede) de sono.

Matéria publicada por em 08 de outubro de 2017

Publicado em Hotéis | Deixar um comentário

WORKSHOP DE COOL HUNTING: COMO CAÇAR TENDÊNCIAS E ANTECIPAR O FUTURO

Workshop de Cool Hunting Como Caçar Tendências e Antecipar o Futuro

Data 28 e 29 de outubro de 2017 das 09 às 17 hs no Espaço Fonte de Ideias

Coolhunting

 O WORKSHOP:

Com a rapidez das informações, cada vez mais empresas e marcas procuram entender e criar estratégias para atuar com sucesso no presente e no futuro – próximo ou longínquo. Com isso, surge a necessidade das empresas em entender alguns sinais que anunciam o que está por vir e saber como interpretá-los e utilizá-los, no desenvolvimento de novos produtos ou serviços. O chamado cool hunter, profissional treinado para captar tendências e novos comportamentos, é considerado hoje uma antena sensível, capaz de indicar novos desejos do consumidor, estilos de vida, anseios e valores, facilitando as empresas no seu posicionamento para antecipar tendências futuras.

Trabalhando há mais de 17 anos como pesquisadora de comportamento, também como diretora no Brasil do instituto de pesquisas de tendências de consumo Future Concept Lab, com sede em Milão, Itália, o workshop é oportunidade de compartilhar a ferramenta de observação dos sinais emergntes da sociedade no intuito de se antecipar à inovação.

Alguns clientes como Illy Caffe, Alessi, Veuve Clicquot, TIM, Ferrero Rocher, H. Stern, Havaianas, Petrobras, Grendene, Fiat, Natura, Unilever, Sebrae, BB Mapfre, entre outros, já experimentaram projetos nesta direção.

OBJETIVOS

– Capacitar o participante a desenvolver o espírito de observação e percepção aplicado a temas de mercado;

– Aprender a metodologia de pesquisa e análise de tendências, transmitindo uma visão ampla do assunto e contexto mercadológico onde as mesmas se aplicam;

– Habilitar o participante à compreensão de lacunas de mercado, de novas oportunidades, de possibilidades de criação de novos produtos, canais de comunicação, varejo ou códigos estéticos em distintas áreas.

METODOLOGIA

A primeira aula será dedicada a uma apresentação conceitual e teórica sobre a metodologia de cool hunting voltada para a inovação. O curso prevê uma saída de campo, o Safari Urbano, para captação de sinais e comportamentos. A última parte do curso é dedicada ao briefing para realização de projetos utilizando a ferramenta do cool hunting.

PROGRAMAÇÃO

28/10

das 9h às 14h – Conceitos e metodologia de Cool Hunting;

das 14h às 17h – Safari Urbano na Vila Madalena

29/10

Das 9h às 17h – Teoria da interpretação dos dados e organização das imagens em clusters. Montagem do projeto final e Apresentação dos projetos;

INFORMAÇÕES

Público-alvo: Empresários e estudantes da área de marketing, comunicação, publicidade, desenvolvimento de produto, planejamento, inovação, consumer insights, criação, varejo, pesquisa, inovação, designers e empreendedores.

Carga Horária: 16 horas

Datas: 28 e 29 de outubro das 9h às 17hs

Local: Espaço Fonte de Ideias – Rua Fradique Coutinho, 1430 – Vila Madalena

O investimento para o workshop é de R$ 800, 00 (pagável em duas vezes)

Para confirmar sua inscrição o pagamento deve ser realizado na seguinte conta:

Sabina Deweik Estratégia e Inovação Ltda , Itaú, Ag: 2944, c/c: 15160-0, CNPJ: 21.070.087/0001-43

Mandar o comprovante para: sabina@sabinadeweik.com.br

Publicado em Tendências | Deixar um comentário

ALERTA DE TENDÊNCIA: MÓVEIS E PEÇAS DE DÉCOR EM FORMATO DE ANIMAL

Se você adora animais, prepare-se: as peças inspiradas em bichinhos vão bombar na decoração

Esta tendência é para quem tem, além de muita personalidade, paixão por animais. Os bichinhos estão servindo de inspiração para peças de design incríveis, com móveis e objetos que esbanjam fofura e estilo. É o caso da linha de banquinhos assinada pelo designer Takeshi Sawada, um dos destaques na segunda edição da Maison&Objet 2017.

Com estilo rústico, mas autêntico, as peças foram totalmente inspiradas em animais silvestres e receberam materiais como couro e madeira em sua execução. Na galeria abaixo, confira a coleção completa de Takeshi Sawada e outros produtos com inspiração em animais que roubaram a cena em uma das maiores mostras de decoração e design da Europa.

Matéria publicada por Casa Claudia em 06 de outubro de 2017

Publicado em Decoração, Design, Móveis, Tendências | Deixar um comentário

6 FORMAS CRIATIVAS DE USAR PEDRAS NATURAIS NO PROJETO

Selecionamos diferentes propostas que provam a versatilidade das rochas

Pedra

Ao longo dos 6 m da estante, reina o mármore calacata polido.

Design exclusivo – não há uma lâmina idêntica à outra – e manutenção mínima já seriam bons motivos para você usar pedras naturais em casa. Agora, aplicações pouco convencionais reforçam a atualidade desse material, como mostram as propostas da galeria abaixo.

Pedra 1

A fim de controlar o calor em excesso, a equipe do escritório Arquitetura Nacional colocou brises fixos de mármore itaúnas diante desta casa em Xangri-Lá, litoral do Rio Grande do Sul. Depois de flameadas (submetidas às chamas de um maçarico, adquirem aspecto rugoso), as lâminas de 3 cm de espessura foram presas junto às janelas dos quartos com o auxílio de perfis de aço com formato em L, pintados em tom claro.

Pedra 2

A planta peculiar deste dúplex – a frente do imóvel é curva – pedia uma escada única. “Embutimos uma estrutura feita sob medida na parede lateral e usamos lâminas de mármore basaltino para revestir tudo, até mesmo a parede”, conta André Pavan, sócio no escritório Meireles + Pavan, em São Paulo. O trabalho é da Mont Blanc Mármores. Embaixo, um dos degraus de peroba de demolição serve como apoio do home theater.

Pedra 3

O teto de vidro acidado (fosco) e um pórtico de aço corten cobrem o jardim interno deste lavabo assinado pelo escritório paulistano Pascali Semerdjian. Além dos materiais incomuns, a pia de bronzita de 0,50 x 1,50 m (trabalho do Espaço Primeiro Plano) foi esculpida segundo uma maquete criada pelo arquiteto Domingos Pascali. “O volume todo parece flutuar. Um banho metálico deixou a torneira no tom do aço corten”, finaliza.

Pedra 4

Para vencer o frio gaúcho, a lareira é acessório dos mais desejados. Ao reformar este apartamento em Porto Alegre, a arquiteta Lídia Maciel elegeu o mármore branco paraná como revestimento do modelo abastecido com etanol. “Com veios sutis de rosa e ouro, esse material desponta como um dos mais indicados para a função, pois resiste a altas  temperaturas.” A chapa polida tem 1,50 m de largura e 2,60 m de altura, o total do pé-direito do living.

Pedra 5

O apartamento fica em Miami, nos Estados Unidos, mas tem sotaque mineiro. No projeto da arquiteta Myrna Gondim Porcaro, de Belo Horizonte, o hall de entrada exibe chapas de ônix (2 cm de espessura) retroiluminadas na parede e no forro. A fixação das pedras empregou montantes metálicos semelhantes aos usados com gesso acartonado, só que mais robustos. Combinação feliz, o piso leva mármore botticino no tom bege.

Pedra 6

“Sou admirador de móveis baixos e horizontais. Numa sala ampla como esta, a solução ficou mais interessante com o emprego de rocha”, avalia o arquiteto Diego Revollo, autor deste projeto paulistano. Ao longo dos 6 m da estante, reina o mármore calacata polido. No chão, o gris armani ganhou tratamento levigado, de opacidade acolhedora, fechando a parceria dos tons em negativo e positivo. Execução da Marcenaria Inovart.

Matéria publicada por Arquitetura e Construção em 05 de outubro de 2017

Publicado em Banheiros, Revestimentos | Deixar um comentário

5 CONSTRUÇÕES TRANSFORMADAS POR LUZES DE LED CUSTOMIZADAS

Além de gastarem menos energia e serem ecologicamente amigáveis, nesses projetos arquitetônicos, as lâmpadas de LED deram outra cara ao design!

As lâmpadas de LED estão revolucionando a forma como vemos o design e a arquitetura. Nada mais justo!

diodo emissor de luz, mais conhecido por sua sigla em inglês LED (Light Emitting Diode) possui uma série de benefícios comparado às lâmpadas comuns. Ele consome 90% menos energia, funciona pelo menos 5 vezes mais horas do que a luz fluorescente e, por não conter mercúrio ou outras substâncias tóxicas em sua produção, o LED é 100% reciclável ao fim de sua vida útil.

Além disso, as lâmpadas de LED podem ser encontradas em diversas cores em intensidades, e podem ser controladas por controle remoto, sensores automatizados, softwares ou aplicativos de smartphone. Como o espectro de cores é imenso, as possibilidades de combinar as luzes com o design são infinitas.

Confira a seguir 5 construções que utilizam das luzes de LED para dar outra cara ao design!

LED 1

Fachada Ports 1961 Shanghai, por UUfie. Xangai, China.

LED 2

Fachada Ports 1961 Shanghai, por UUfie. Xangai, China.

LED 3

Centro Aquático Nacional de Pequim (Cubo d’água), por PTW Architects. Pequim – China.

LED 4

Centro Aquático Nacional de Pequim (Cubo d’água), por PTW Architects. Pequim – China.

LED 5

Mood Ring House, por SILO AR+D. Fayetteville, Arkansas – Estados Unidos.

LED 6

Mood Ring House, por SILO AR+D. Fayetteville, Arkansas – Estados Unidos.

LED 7

Extensão de luz em Museu Städel, por Schneider+Schumacher. Frankfurt, Alemanha.

LED 8

Extensão de luz em Museu Städel, por Schneider+Schumacher. Frankfurt, Alemanha.

LED 9

Edifício Chungha, por MVRDV. Seoul, Coréia do Sul.

LED 10

Edifício Chungha, por MVRDV. Seoul, Coréia do Sul.

Matéria publicada por Casa Claudia em 05 de outubro de 2017

 

 

Publicado em Arquitetura, Iluminação | Deixar um comentário

7 HOME OFFICES PEQUENOS E PRÁTICOS

Trabalhar ou estudar em casa é mais gostoso em um cantinho bem planejado. Selecionamos ambientes de estilos variados para você se animar e montar o seu

Home 1

Mesa para dois

Compartilhado pelo casal, este espaço oferece uma bancada sob medida (Marcenaria Portal da Madeira) e duas cadeiras de policarbonato (DKR. Le Design, R$ 520 cada). A cereja do bolo é a parede de cobogós (Recife, da Cerâmica del Favero, de 27 x 27 cm. Euroville, R$ 74,42 cada), que ganhou uma moldura de MDF laqueada de branco. Projeto do escritório Sesso & Dalanezi, de São Paulo.

Home 2

O estilo industrial urbano pautou as escolhas desta área de trabalho conjugada à cozinha de uma residência paulistana. O arquiteto Fabio Marins teve como ponto de partida o desenho de uma bancada (Marcenaria E. Anísio), executada com chapas de compensado revestidas de laminado melamínico preto fosco, seguindo a linguagem do cômodo vizinho. As cadeiras amarelas (Eiffel. Open Box2, R$ 120 cada) entram para alegrar a composição.

Bancada multiúso

Home 3

Neste quarto de uma jovem paulistana, a prioridade foi aproveitar ao máximo a área disponível: o móvel desenhado pela arquiteta Anna Parisi serve tanto para estudar e usar o computador quanto para que a moradora possa se arrumar e maquiar – razão pela qual inclui, além de um mural e prateleiras para livros, um espelho. Os gaveteiros com rodízios (Rollings. Tok&Stok, R$ 599,50 cada) colaboram com a organização.

Estímulo ao estudo

Home 4

O visual deste dormitório concebido pela arquiteta Andrea Pontes, de São Paulo, foi trabalhado com o objetivo de turbinar a motivação para estudar de seu morador adolescente. A parede com efeito de lousa exibe uma frase inspiradora escrita à mão com tinta acrílica (Na Lousa, R$ 850). Destaque para o uso da marcenaria e os detalhes em amarelo, que remetem à energia (MDF com laminado alto brilho no padrão Citrino, da Duratex).

Charme discreto

Home 5

Um cantinho da sala de estar virou home office neste apartamento em São Caetano do Sul, SP. “A sacada foi criar um aparador para ocultar as costas do sofá, e usá-lo como base para a escrivaninha, formada por um tampo de vidro e um cavalete”, detalha a arquiteta Carol Vilela, autora do projeto. A cadeira de policarbonato fumê e a luminária divertida (Lar Deco, R$ 462,55) são os xodós dos donos do pedaço.

Feito sob medida

Home 6

O cômodo estreitinho foi bem aproveitado com a marcenaria desenhada pela arquiteta Marcy Ricciardi, de São Bernardo do Campo, SP (execução da Criare). Além da confortável bancada (2,10 x 0,50 x 0,75 m), há espaço para o morador, um empresário, guardar todo seu material em armários com portas espelhadas bronze. Tomando as duas paredes maiores com o mobiliário, Marcy conquistou uma excelente área central de circulação.

Tons em harmonia

Home 7

O antigo quarto de serviço agora cumpre a função de home office neste apê paulistano reformado pela arquiteta Adriana Fontana. Fechar a porta que dava para a lavanderia e abri-la voltada para a sala foi o primeiro passo. Em seguida, a marcenaria definiu o uso do espaço. O mix de elementos amadeirados com itens de tonalidade azul-tiffany comparece no mobiliário e na cadeira de escritório (Donna. Fernando Jaeger, R$ 1 624).

Matéria publicada por Minha Casa em 02 de outubro de 2017

Publicado em Decoração, Escritórios | Deixar um comentário