10 COZINHAS E ÁREAS GOURMET PARA SE INSPIRAR A REFORMA

Selecionamos dez projetos já publicados nas páginas de A&C para servir de referência para sua próxima reforma. Que tal?

A cozinha é um dos espaços mais gostosos da casa ou do apê. Pensando nisso, selecionamos dez projetos bacanas onde este ambiente tão querido e acolhedor foi planejado cuidadosamente para atender os gostos e necessidades dos moradores. Confira a seguir:

Arq 1

No projeto da Padovani Arquitetos, em todo o térreo, assim como nesta cozinha gourmet, prevalece o porcelanato Munari Cimento AC (90 x 90 cm, da Eliane).

Arq 2

 

A cozinha, delimitada pela bancada de concreto com mesinha de freijó (0,41 x 0,75 x 1,89 m) encaixada no tampo, ganha amplitude com o forro que acompanha a inclinação de 30% do telhado. A parte mais alta alcança 4,70 m e a mais baixa fica a 3,60 m. Cadeiras azuis da Oppa. Projeto: Cristina André

Arq 3

Na cozinha tipo corredor, a bancada avança em formato de península para aproveitar o espaço junto ao pilar metálico, que não poderia ser removido. Projeto: ODVO Arquitetura e Urbanismo.

Arq 4

Como proteção contra a chuva, durante a obra a varanda ganhou uma cobertura extra, plana e com beiral maior, feita de manta termoplástica Alwitra, a mesma que cobre os quartos. Churrasqueira, coifa e duto foram desenhados em parceria com o serralheiro Joaquim do Livramento. Projeto: Nitsche Arquitetos.

Arq 5

Generoso, este espaço abriga a cozinha e a sala de jantar. “Melhor fazer uma única estrutura, bem completa, do que criar outro ambiente para a varanda gourmet”, fala a arquiteta. No teto sem forro, está aparente o verso das taubilhas. No piso, cimento queimado feito na obra. Projeto: Cris Nogueira.

Arq 6

Esquadrias de alumínio pintado separam o corredor lateral da cozinha. Nela, o piso leva ladrilho hidráulico (Ladrilar) e os armários têm portas de cumaru e vidro. Projeto: Estúdio Penha.

Arq 7

No projeto da JDJ Design de Interiores, a cozinha, nova em folha, tem ares contemporâneos e, clean, ajuda a apaziguar a visão. Nos armários planejados (Florense), nuances de gelo e cinza dialogam com os matizes do piso. O foco da atenção cabe ao vermelho intenso atrás do fogão.

Arq 8

Agora voltada para a rua, a cozinha repete, no piso de mosaico de vidro e na marcenaria sob medida, o verde e o vermelho tão presentes no jardim. A bancada emprega mármore espírito santo (DMX2 Mármores e Granitos). Toda a caixilharia é de freijó. Projeto: André Vainer Arquitetos.

Arq 9

A composição e a disposição dos armários da cozinha foram escolhas do arquiteto com base nas opções do fornecedor (Favo Móveis). Ele preferiu peças com corpo de MDF revestido de laminado com microtextura, além de portas de vidro acidato fosco (com pintura branca), que oculta as marcas de dedos. Internamente, divisórias de inox facilitam a higienização. Projeto: Stduio Ro+Ca.

Arq 10

No projeto de Daniel Fromer, o fogão à lenha surgiu na reforma, ladeado pela bancada de granito preto são gabriel. Na cobertura, perfis metálicos sustentam placas de vidro laminado.

Matéria publicada por Arquitetura & Construção em 16 de janeiro de 2018

Publicado em Cozinhas | Deixar um comentário

LYNEA PLUG LAMP: A LUMINÁRIA MINIMALISTA QUE DISPENSA FIOS

Com design geométrico, a lâmpada de LED fornece iluminação para todo o ambiente e o melhor: você não vai precisar de um eletricista para instalá-la!

lynea 1

LYNEA Plug Lamp, desenhada pelo estúdio de design californiano Human Home, foi pensada para economizar espaço de forma inteligente.

lynea 2

Com linhas simples e design geométrico, a luminária artesanal é feita de latão e coberta com pó de alumínio. O vidro do bulbo é soprado e moldado a mão.

lynea 3

Como a luminária é plugada diretamente na tomada, os fios se tornam desnecessários. A luz de LED economiza energia e é capaz de iluminar um cômodo inteiro. A escolha é certeira para casas com metragens pequenas!

lynea 4

Matéria publicada por Casa Claudia em 16 de janeiro de 2018

Publicado em Design, Iluminação | Deixar um comentário

BANHEIRO MESCLA REVESTIMENTOS DE PEDRA E MADEIRA NO DÉCOR

Limenstone no box, pastilhas na parede e móveis de madeira criam um ambiente com atmosfera calma e aconchegante

Banheiro 1

Este banheiro de 4,60 metros quadrados fica em um apartamento em Curitiba, de um casal prático e organizado. O décor reflete essas características. Abaixo da bancada da pia e também sobre ela, móveis de madeira com nichos e gavetas organizam itens pessoais assim como objetos decorativos. As plantas enchem de charme essa área.

Banheiro 2

Um desafio para a arquiteta Caroline Andrusko, que assina o projeto de interiores, foi combinar de forma harmônica os acabamentos existentes, entregues pela construtora, com os novos revestimentos. “O tampo da bancada que já estava lá possuía uma tonalidade mais escura, por isso, tivemos que trabalhar todo o resto do ambiente em cores mais claras para um ambiente confortável”, diz Caroline.

Na parte do box, a parede é de limestone e conta com um nicho para apoio. A parede oposta foi revestida com pastilhas na mesma tonalidade da pedra do box, adicionando mais uma textura ao ambiente.

Matéria publicada por Casa Claudia em 16 de janeiro de 2018

Publicado em Banheiros, Marcenaria | Deixar um comentário

LOJAS DO SHOPPING INTERLAR ARICANDUVA FAZEM LIQUIDAÇÃO COM DESCONTOS DE ATÉ 50%

Com duração prevista até 18 de fevereiro, o Liquida Interlar traz ofertas especiais para renovar a casa 

A chegada de um novo ano é a oportunidade ideal para reformar o lar com móveis planejados ou ambientados, sem extrapolar no orçamento. Pensando nisso, o Shopping Interlar Aricanduva, centro de compras voltado ao segmento moveleiro e de decoração, realiza o Liquida Interlar entre os dias 18 de janeiro e 18 de fevereiro. A campanha integra soluções para salas de estar e de jantar, cozinhas e dormitórios, e apresenta peças com até 50% de desconto, com facilidade de pagamento, em até 24 vezes sem juros.

Durante o período, além de aproveitar as ofertas da liquidação, será possível concorrer a um carro Ford New Fiesta 0 km. A cada R$ 1 mil em compras nas lojas e quiosques participantes da promoção, o cliente ganhará um cupom. O sorteio será realizado em 19 de fevereiro.

Para mais informações, basta acessar: www.aricanduva.com.br.

Confira algumas oportunidades do Liquida Interlar:

 pompeia

Sofá Retrátil e Articulado Bruxelas, de R$ 3.800,00 por 10x de R$ 179,90, na Komfort House.

BRUXELAS - BEGE (2)

Sofá Retrátil e Articulado Pompéia, de R$ 3.990,00 por 10x de R$ 189,90, na Komfort House.

Serviço:

Shopping Interlar Aricaduva – Liquida Interlar
Av. Aricanduva, 5555 – Vila Matilde, São Paulo/SP.
De 18 de janeiro a 18 de fevereiro.
Segunda a domingo, das 10h às 22h.

Sobre o Centro Comercial Aricanduva

O maior Shopping da América Latina está no primeiro lugar na preferência dos consumidores da Zona Leste de São Paulo, recebendo 4,5 milhões de pessoas ao mês. Com estacionamento gratuito, é formado pelo Shopping Aricanduva, Interlar Aricanduva, voltado para o segmento moveleiro, e Auto Shopping Aricanduva, especializado em automóveis, motos, acessórios e serviços. O complexo, com 1 milhão de m², possui 545 lojas, 12 concessionárias completas de veículos e motos, 14 salas de cinema, três praças de alimentação, três hipermercados, dois home centers, duas academias, área completa de lazer e a unidade leste do Detran, além da Universidade UniSant’Anna, do Hospital Cema e do laboratório Lavoisier Medicina Diagnóstica. Para mais informações, acesse: www.aricanduva.com.br.

Publicado em Móveis | Deixar um comentário

NEOBOX LANÇA LINHA 2018 COM MÓVEIS DE MUITO BOM GOSTO

Poltrona 1

Ano novo, móvel novo! Se depender da Neobox, você vai trocar os seus móveis em 2018, afinal ela já lançou a sua nova linha de sofás e poltronas para o novo ano. Totalmente projetada pelos designers Danilo Lopes e Paula Gontijo, a coleção rende surpresas visuais e  ergonômicas equalizando variedade de acabamento, conforto e tecnologia em cada produto.

Poltrona 2

Os designers produziram através de técnicas manuais, com inspirações em estilos atemporais que se fundem em uma combinação sofisticada e equilibrada entre o clássico e o contemporâneo. A empresa em 2018 busca o reconhecimento da identidade através de seus móveis. Vemos que se você quer optar por um décor com muito charme e bom gosto, com certeza os móveis da coleção de 2018 da Neobox estarão em seus planos.

Poltrona 3

Matéria publicada por Eye4Design em 12 de janeiro de 2018

Publicado em Design, Móveis | Deixar um comentário

SUÍTE DE 35 M² É SETORIZADA COM BIOMBOS DE MADEIRA DE CUMARU

As divisórias são elegantes e separam o ambiente em três espaços distintos: hall de entrada, dormitório e closet/escritório

Decor 1

Para ter uma suíte espaçosa, uma reforma transformou dois cômodos deste apartamento em Salvador (BA) em um ambiente de 35 metros quadrados. “Por se tratar de um cômodo grande, a decoração e o layout eram um tanto inóspitos e sem personalidade”, diz Cinthia Rosa, do escritório Quati Arquitetura, responsável pelo projeto. As moradoras queriam atualizar o décor e o único pedido foi para que o piso original, um assoalho de sucupira, fosse mantido.

Decor 2

“O ponto de partida foi pensar como manter a sensação de amplitude do cômodo, deixando-o confortável e aconchegante ao mesmo tempo”, diz Diego Serra, do Quati Arquitetura. Para isso, os profissionais decidiram setorizar o uso dos espaços com divisórias treliçadas em madeira de cumaru, que fizeram as vezes de biombos. E assim criaram três espaços distintos: hall de entrada, dormitório e closet/escritório. “Os biombos são a nossa parte preferida do projeto, já que, além de elegantes, funcionam como filtros para a iluminação pontual criando um bonito efeito de luz e sombra no ambiente”, revela Cinthia. Além das divisórias, as diferentes alturas do forro e a iluminação também contribuíram para demarcar melhor estas áreas. Todos os móveis, exceto a mesa lateral da cama, foram desenhados pelo escritório.

Decor 3

 

No dormitório, um painel em MDF com frisos esconde uma janela que nunca era usada. A cabeceira da cama em laca azul traz cor ao ambiente que tem uma paleta com tons de madeira, branco e bege. O hall de entrada tem um banco de madeira que auxilia na hora de calçar os sapatos e é ali que fica o acesso ao banheiro da suíte.

Decor 4

Decor 5

 

Matéria publicada por Casa Claudia em 14 de janeiro de 2018

Publicado em Arquitetura, Decoração | Deixar um comentário

CORAÇÃO VERDE – MARINA ONE SINGAPORE – INGENHOVEN

Marina 1

Arquitetos: ingenhoven architects

Localização: Singapura, Singapura

Arquitetos: architects61

Área: 40000.0 m²

Ano de projeto: 2017

Fotografias: HG Esch

Gerenciamento de projetos: UEM sunrise Berhad, Malásia / Mapletree Investments Pte Ltd.,

Projeto de arquitetura: Ingenhove architects, Düsseldorf, Alemanha / Ingenhoven LLP, Singapura

Arquitetura da paisagem: Gustafson Porter + Bowman, Londres, Reino Unido

Consultoria de paisagismo: ICN Design International Pte Ltd, Singapura

Estrutura e projetos complementares: BECA Carter Hollings & Ferner, Singapura

Consultor de fachada: Arup, Singapura

Consultor de projeto luminotécnico: Arup, Singapura

Design de interiores: Axis ID, Singapura

Quantitativos: Langdon & Seah, Singapura

Construtora principal: Empresa de Hyundai Engineering & Construction and GS Engineering & Construction

Construtora: Sambo E & C, Singapura

Cliente: M+S Pte Ltd. Singapura, uma empresa de Khazanah Nasional Berhad, Kuala Lumpur, Malásia e Temasek Holdings, Singapura

Marina 2

“Marina One” é um projeto modelo para se viver e trabalhar nas megas cidades contemporâneas. Um projeto que contribui de forma inovadora para a experiência de vida em espaços urbanos de alta densidade, especialmente em regiões tropicais, as quais, devido ao considerável aumento da população e das mudanças climáticas atualmente em curso, vem enfrentando enormes desafios. O complexo de alta densidade e múltiplos usos cobre uma área de mais de 400.000 metros quadrados e, com seu conjunto de quatro edifícios em altura, configura um “coração verde” em seu centro – um espaço público que se desenvolve através de vários pavimentos. Este oásis verde tridimensional procura acolher a diversidade da flora e fauna tropical local. Uma maquete do edifício contando com entrevistas com os arquitetos além de um documentário sobre o projeto estão atualmente em exposição no Aedes Architekturforum de Berlim.

Marina 3

Marina 4

Marina 5

O principal elemento desta exposição é a escultórico maquete do edifício com cinco metros de altura que representa a forma única dos edifícios do “Marina One”. Atualmente, mais de 50% da população mundial vive nas cidades. Ao que tudo indica, esse número deve aumentar um 20% nas próximas três décadas. Com isso, em 2050 a população do planeta deverá ser de nove ou dez bilhões de habitantes. Nas grandes cidade, este crescimento exponencial não poderá prescindir dos grandes edifícios residenciais. O conceito do “Marina One”, além das suas quatro torres residenciais, gira em torno a um espaço central compartilhado – que foi chamado de “coração verde” – concebido de forma inovadora por seus arquitetos em estreita colaboração com os paisagistas do escritório Gustafson Porter + Bowman.

Marina 6

A relação franca entre as torres e o jardim central proporciona ventilação natural e a criação de um microclima agradável. Considerada a maior área verde pública no Distrito Comercial Central de Marina Bay, em Singapura, ela proporciona a experiência de viver perto da natureza em pleno centro de uma das maiores cidades do mundo, cuja área corresponde a 125% da área original do terreno. O projeto recebeu as certificações Green Mark Platinum e LEED Platinum e é composto por quatro edifícios que abrigam áreas comerciais e espaços de escritórios além de unidades residenciais. As duas torres de escritórios possuem uma superfície útil de 175 mil metros quadrados enquanto que as duas torres residenciais possuem 1.042 unidades abrigando cerca de 3.000 moradores.

Marina 7

A forma orgânica do conjunto, com suas icônicas torres em torno a uma vegetação abundante e generosa no pátio central, contribuem para a melhoria do microclima e promovem a biodiversidade local. Inspirado nos terraços asiáticos de cultivo de arroz, estes jardins tridimensionais de vários pavimentos refletem a diversidade da flora tropical e criam um novo habitat dentro do espaço urbano. Este área verde pulsante é composta de mais de 350 diferentes espécies de vegetação, incluindo 700 árvores distribuídas em uma área de 37.000 metros quadrados. Inúmeras espécies animais se apropriam desta diversidade biológica todos os dias. Como em uma floresta tropical, as diferentes condições climáticas correspondentes aos diferentes níveis verticais, o paisagismo simula um vale verde com variações climáticas de acordo com a sua altura em relação ao solo.

Marina 8

Restaurantes e cafés, lojas, uma academia de ginástica, piscinas, supermercados, praças de alimentação e espaços para eventos localizados nos diferentes terraços abertos, não só disponibilizam produtos e serviços aos moradores, funcionários e visitantes – eles também proporcionam um espaço de interação social. O projeto compacto e eficiente é complementado por sistemas de ventilação de baixo consumo de energia, placas fotovoltaicas de alta eficiência e fachadas de vidro que minimizam a incidência de radiação solar no interior do edifício. Conectado diretamente à quatro das seis linhas de transporte público de massa da cidade, pontos de ônibus, estações de bicicletas e de carga para veículos elétricos é possível garantir uma considerável redução nas emissões de gás carbônico decorrentes do uso de meios de transporte individuais.

Marina 9

A palheta de cores dos interiores e da fachada do edifício apresentam tons terrosos e aconchegantes com a finalidade de proporcionar uma atmosfera tranquila ao edifício. A escultura do edifício que preenche o espaço central da exposição no Aedes Architekturforum, representa a deliberada forma do edifício para que possa ser apreciada e compreendida como um todo. Um documentário foi feito pelo fotógrafo de arquitetura HG Esch, com entrevistas e diagramas explicativos do projeto, apresentando aos visitantes idéias inovadoras para a arquitetura das mega-cidades.

Marina 10

Matéria publicada por Arhc Daily em 11 de janeiro de 2018

Publicado em Cidades, Sustentabilidade | Deixar um comentário

GALERIA DE PRODUTOS: SELEÇÃO DE ITENS PREMIADOS PELO MCB

Promovido anualmente desde 1986, o prêmio Design MCB é reconhecido como um celeiro de talentos e palco de profissionais

A proposta da premiação do Museu da Casa Brasileira é clara: oferecer um panorama da produção nacional em categorias que abrangem produtos, trabalhos escritos, acadêmicos e editoriais ligados ao mercado. O critério de seleção observa a inovação nos quesitos forma, função e uso, compreendendo fatores como sistema de produção, ergonomia, facilidade de instalação e logística de transporte. As 54 peças laureadas na 31ª versão do evento, ocorrida no mês passado, ficarão expostas até 21 de janeiro de 2018 no museu, em São Paulo. “Entre as tendências desta edição, destaco a evolução dos revestimentos, mais funcionais e com múltiplas possibilidades de modulação, além da sofisticação dos acabamentos para projetos de iluminação”, aponta Marcelo Oliveira, coordenador do júri. Confira na galeria abaixo alguns dos itens destacados nas categorias Construção e Iluminação:

Produto 1

Sem fios em suas articulações (a condução se dá por meio de contatos elétricos deslizantes), o 361°_Spot-Trilho, de Eduardo Ernesto Dutra Rodrigues e Moshe Gorban, possibilita a regulagem do foco de luz, girando livremente na vertical e horizontal. Da LED TEC , a partir de R$ 766,23.

Produto 2

A volumetria do revestimento para parede Liveli, de Aline Siemenskoski, remete aos desenhos geométricos dos ladrilhos hidráulicos. Feito de concreto de alto desempenho, pode ter uma ou duas cores na mesma peça. A paleta é a SelfColor Suvinil, com mais de 1,5 mil tons. Menção honrosa em Construção. Da Maski.

Produto 3

Segundo lugar em Iluminação, o pendente XL, de Ronaldo Mafra, consiste em cinco minicúpulas metálicas e um disco de acrílico encaixados ao gosto do usuário na fonte de led, possibilitando múltiplas combinações. Da Iluminar, por R$ 500.

Produto 4

Feitos de poliuretano reciclado e indicados para áreas internas e externas, os revestimentos da coleção Escamas – criação do estúdio Fetiche Design e do designer Marcelo Rosenbaum para a Santa Luzia – estão disponíveis em quatro tons de cinza e três versões que levam nomes de peixes brasileiros (Curimba, na foto). Terceiro lugar em Construção. R$ 450 o m².

Produto 5

Família de luminárias de teto e parede, a Clip, de Ricardo Heder, recebeu menção honrosa. Permite direcionar o facho de luz e alterar sua intensidade rotacionando apenas o perfil de alumínio encaixado no tubo luminoso, como um dimmer. R$ 1 750. Da Reka.

Produto 6

A volumetria do revestimento para parede Liveli, de Aline Siemenskoski, remete aos desenhos geométricos dos ladrilhos hidráulicos. Feito de concreto de alto desempenho, pode ter uma ou duas cores na mesma peça. A paleta é a SelfColor Suvinil, com mais de 1,5 mil tons. Menção honrosa em Construção. Da Maski.

Produto 7

Vencedora da categoria Iluminação, a luminária Aero, de Fernando Prado, é produzida em alumínio fundido e desenhada para áreas externas. Dispõe de dissipador de calor com controle inteligente e rasgos para escoamento da água. Da Lumini, feita sob medida, a partir de R$ 3 950.

Produto 8

O balizador de jardim Twist, de Eliane Fátima Dias Pinheiro, obteve o terceiro lugar em Iluminação. A fonte de led instalada na extremidade de uma haste flexível escamoteável pode ser parafusada no piso ou fincada na terra, permitindo clarear caminhos e destacar vegetações. Da Iluminar, por R$ 584.

Produto 9

Primeira colocada em Construção, a torneira Up&Down, de Marcio Kogan e Mariana Ruzante (studio mk27), tem a extremidade com orifício giratório, que permite direcionar o jato d’água para a lateral, de modo a facilitar o consumo diretamente pela boca, como uma fonte. Produção da CEA Design. R$ 10 mil.

Produto 10

 

Misturador monocomando para cozinha, o DocolOzônio recebeu menção honrosa na categoria Construção. Mistura ozônio (O³) à água, prometendo eliminar bactérias e os agrotóxicos presentes nos alimentos, além de acabar com odores como o de alho, cebola e peixe. De Christopher Hakenhaar para a Docol. A partir de R$ 4 mil.

Matéria publicada por Arquitetura & Construção em 10 de janeiro de 2018

Publicado em Design | Deixar um comentário

GUNTÛ: UM HOTEL FLUTUANTE NO SUL DO JAPÃO

Obra do arquiteto japonês Yasushi Horibe, o espaço é dominado pela madeira e conta com 19 quartos

Hotel 1

Uma viagem tranquila, cercada pelo calor da madeira: esta é a proposta do Guntû, um hotel flutuante no Mar Interior de Seto, no sul do Japão.

Hotel 2

Com 19 quartos e capacidade para 38 passageiros, o espaço é assinado pelo arquiteto japonês Yasushi Horibe, que recebeu o Architectural Institute of Japan Prize (divisão de Architectural Design) em 2016 pelo projeto Charnel House.

Hotel 3

A iluminação natural, as vistas panorâmicas e o conforto são prioridades no hotel – o nome Guntû homenageia um tipo de caranguejo azul da região.

Hotel 4

Ao todo, são quatro tipos de cabines. Com 90 metros quadrados, a Guntû Suite oferece vistas panorâmicas na direção da viagem. Já a Grand Suite, com 80 metros quadrados, conta com as maiores varandas. Por último, a Terrace Suite foi pensada para oferecer paz à mente. Com 50 metros quadrados, pode ter banheira ao ar livre ou não.

Hotel 5

Os hóspedes também podem aproveitar serviços de spa, sauna e academia.

Hotel 6

O restaurante, comandado pelo chef Kenzo Sato, do Shigeyoshi, em Tóquio, oferece ingredientes locais.

Hotel 7

Nas horas vagas, o hotel conta com atividades fora do barco com visitas às ilhas do arquipélago.

Hotel 8

Confira mais imagens abaixo:

Hotel 10

Hotel 11

Hotel 12

Matéria publicada por Casa Claudia em 11 de janeiro de 2018

Publicado em Hotéis | Deixar um comentário

5 CARREIRAS EMERGENTES EM TECNOLOGIA DE ARQUITETURA PARA PRESTAR ATENÇÃO A PARTIR DE 2018

Building

Mesmo com tecnologias como a realidade virtualrealidade aumentadaimpressão 3D, design computacional e robótica já reformulando a prática de arquitetura, a comunidade de projeto está apenas riscando a superfície do potencial dekas. Projetistas que reconhecem isso e investem na construção de habilidades e experiência para maximizar o uso dessas ferramentas no futuro se tornarão inerentemente melhores arquitetos e posicionando-se aos novos caminhos da carreira à medida que nossa profissão evolui. Mesmo há apenas uma década atrás, os projetistas com interesses em arquitetura e tecnologia eram essencialmente obrigados a prosseguir em um ou outro campo. Agora, com a arquitetura começando a aproveitar o poder das tecnologias de ponta, esses campos não são mais mutuamente exclusivos.

Com muitos escritos sobre como a tecnologia está mudando a maneira como os arquitetos trabalham e os produtos que podemos oferecer aos clientes durante o ciclo de vida de um projeto, houve menos foco em como a tecnologia está mudando as oportunidades de carreiras na área. Os escritórios de arquitetura estão agora contratando para cargos que não existiam, mesmo há três anos atrás. Aqui está uma visão em cinco modelos de carreiras emergentes que a tecnologia tornará possível em 2018 e no futuro imediato.

Diretor de Tecnologia

Embora empresas de outras indústrias líderes têm contratado Diretores de Tecnologia, em profissões ligadas ao projeto isso tem sido mais lento a reconhecer seu valor. Nos últimos anos isso começou a mudar, já que algumas empresas começaram a contratar para esta importante posição. Com a rápida evolução da tecnologia em design, é importante que as empresas tenham indivíduos e equipes focados em assegurar que estejam sempre alavancando as melhores ferramentas e processos para oferecer aos seus clientes.

Os Diretores de Tecnologia se concentram principalmente em garantir que as equipes de projeto estejam constantemente implementando tecnologias de desenho digital inovadoras e refinando seu uso. Essencialmente, criam roteiros sobre como o projeto digital crescerá em sua prática ao longo dos próximos anos e são, então, responsáveis por sua execução. Com algumas empresas já liderando a procura com a contratação de diretores de Tecnologia, espera-se que mais escritórios comecem a preencher esses cargos em 2018.

Modeladores de Realidade Imersiva

Uma das mudanças mais poderosas que a nova tecnologia está criando é um deslocamento para longe de desenhos de projeto em 2D e plantas planificadas para ambientes virtuais 3D mais realistas. Esta mudança está tornando a comunicação entre designers, clientes e usuários finais mais significativas. Ao invés de pedir-lhes para imaginar como os croquis e plantas se traduzem no futuro espaço construído, os arquitetos agora podem colocar clientes em ambientes virtuais anos antes de os edifícios reais serem concluídos. Isso permite que clientes e usuários finais entendam as qualidades espaciais de novas maneiras, questionem com maior propriedade e reconheçam desafios ou oportunidades que fortalecem o produto final. Também os ajuda a sentirem-se mais confiantes sobre seu investimento.

À medida que mais clientes reconhecem os benefícios que a realidade virtual pode trazer para seus projetos, os escritórios de projeto lutarão para contratar os melhores modeladores 3D e especialistas em animação. Tendo pessoas em equipes de projeto que possam criar o melhor, os ambientes virtuais mais imersivos irão percorrer um longo caminho para garantir a satisfação do cliente e repetir os negócios. Não se surpreenda se as empresas de arquitetura ainda procuram talentos da indústria de Games para ajudar preencher lacunas de talentos e permanecer competitivos nesta área.

Dado que os ambientes virtuais de ponta podem melhorar diretamente as oportunidades de clientes, arquitetos serão sábios se considerarem aumentar suas habilidades de modelagem em realidade virtual o mais rápido possível.

Designers de Simulação Virtual

Até o momento, arquitetos usam a realidade virtual principalmente para criar ambientes que reflitam o espaço a ser construído pela primeira vez. No entanto, muitos escritórios já estão vendo o potencial em serem capaz de inserirem designers e clientes em eventos simulados virtualmente dentro destes ambientes. Por exemplo – quer garantir que você tenha projetado um hospital para ser evacuado com sucesso em um furacão? Crie um modelo em realidade virtual e, em seguida, simule cenários de evacuação à medida que o vento, a chuva e a possível destruição ocorrem. Alternativamente, quer garantir que o som de um tanque comunitário não torne apartamentos menos desejáveis para alugar? Construa um modelo e teste os parâmetros para entender se o ruído será uma dissuasão. Deseja diminuir o risco de pacientes com desafios cognitivos caírem em uma clínica de internação? Simule como as sombras projetam e se movem nas superfícies do piso em qualquer ponto e tempo para entender como esses pacientes podem reagir e/ou tropeçar nelas.

Projetar modelos em realidade virtual e conceber simulações dentro destes exigirá talentos únicos. Aqui novamente, os arquitetos que começam a desenvolver habilidades que os ajudem a situações de cenário-teste aos clientes poderá diferenciá-los à futuras oportunidades na carreira.

Designers de Interface Háptica

Enquanto as empresas de projeto podem começar a experimentar simulações de realidade virtual em 2018, mais adiante o caminho será a integração das interfaces hápticas. Os modelos em realidade virtual de hoje permitem que os clientes vejam seus espaços futuros, mas muito antes de seu tempo, os hápticos também tornarão possível senti-los. Incorporar o senso de toque nos modelos de realidade virtual levará a uma tomada de decisão mais informada em torno de materiais, superfícies, móveis e muito mais.

Designers que entendam a tecnologia háptica – como funciona, o que a torna possível e como incorporá-la em modelos de realidade virtual – serão valorizados no futuro. À medida que a realidade virtual e tecnologia háptica evoluem, seu casamento é quase inevitável. Além disso, uma vez que os clientes percebem os incríveis benefícios de poder ver e tocar espaços anos antes de existirem, escritórios de arquitetura investirão fortemente na união das tecnologias.

Cientistas / Analistas de dados

Durante séculos, arquitetos têm em sua maioria, armazenado todos seus conhecimentos e sabedoria de projeto em suas mentes. Nos últimos cinco anos, a comunidade de projeto começou a estar de acordo com a natureza fugaz dessa prática e começou a documentar e democratizar o gerenciamento do conhecimento.

Como profissão, cabe-nos aperfeiçoar alguns entalhes e reconhecer a importância da coleta de dados e sua classificação. Hoje, é possível catalisar a análise de desempenho e o design generativo baseado em dados, mas os dados também servirão em breve como base para alavancar a inteligência artificial e a aprendizagem de máquinas. À medida que essa mudança ocorra, mais e mais escritórios de projeto contratarão cientistas e analistas de dados para alimentar o potencial dessas novas tecnologias.

A arquitetura é uma profissão muito rica e diversificada pois permite tantos caminhos de carreiras únicas dentro dela. Existem diferentes mercados, serviços e áreas de especialização através das quais canalizam a própria paixão. É ótimo ver a tecnologia começando a criar uma maior diferenciação de carreira para os arquitetos e estou ansiosa para ver quais novas oportunidades surgirão em 2018 e adiante.

Hilda Espinal, AIA, LEED AP, CDT, é diretora de tecnologia da CannonDesignresponsável por ajudar clientes e equipes de projetos em todo o mundo a aproveitar a tecnologia e dados inteligentes à tomar decisões informadas no início do processo de projeto – reduzindo o risco e maximizando o impacto dos investimentos.

Matéria publicada por Arch Daily em 11 de janeiro de 2018

Publicado em Arquitetura, Tecnologia | Deixar um comentário