MEU QUARTO, MEU NINHO

Paleta feminina aquece o espaço

As cores nem sempre frequentaram os quartos com tanta liberdade. Agora, elas estão por toda parte, das paredes às colchas e almofadas. Na reforma desta suíte de casal, a arquiteta Thaisa Camargo criou a base perfeita para recebê-las – neutra sim, mas não sem graça. Isso porque decidiu revestir a parede atrás da cabeceira com um porcelanato que puxa para o tom de cimento: o material trouxe textura ao ambiente e acolheu sem conflitos o enxoval e os acessórios. “Mesmo suaves, as cores aquecem o ambiente”, afirma Thaisa. “Um quarto muito claro pode fcar bastante frio.”

Madeira e cerâmica criam aconchego

Conforto é a primeira qualidade que as pessoas associam ao quarto. E foi esse o pedido que Denise Abdalla, do escritório CSDA Interiores, ouviu do casal de moradores. “Eles também queriam móveis contemporâneos e que eu usasse na decoração um anjo de barro que trouxeram de uma viagem ao Nordeste”, conta. Para receber a peça de artesanato e separar o ambiente de uma antessala, na qual fica o canto de trabalho, Denise projetou uma estante vazada de laca. O piso de madeira de demolição, a cabeceira de couro e a poltrona italiana se encarregaram de produzir aconchego.

Cabeceira estampada é atração principal

Inconfundível, o ziguezague característico da marca italiana Missoni reveste a cabeceira do quarto de uma adolescente. A arquiteta Consuelo Jorge usou placas de 45 x 45 cm, forradas de espuma e cobertas com o tecido da grife, para compor o painel. Dos matizes da estampa, tirou os tons para pintar a parte interna da estante de MDF laqueado. “Esses momentos de cor dão vida e personalidade ao ambiente”, diz Consuelo. O banheiro, também totalmente reformado, ganhou uma porta que corre por trás da estante, deixando um vão de 1,40 m para integrar os espaços.

Mobiliário facilita a circulação

Mesmo com 14 m², o quarto de uma jovem fotógrafa apresentava um entrave: a área de circulação junto à cama era insuficiente, o que levou o arquiteto Diego Revollo a optar por móveis laterais de medidas diferentes. “Ninguém percebe que se trata da solução de um problema porque o resultado ficou bem equilibrado”, explica. De um lado da cama, foi colocado o criado-mudo de madeira zebrano natural, desenho do arquiteto, acompanhado de uma tela de Lúcio Carvalho. Do outro lado, para não roubar metragem junto a um armário, bastou um garden seat sob luminárias pendentes.

Espaço multiuso, com TV e escritório

Casados há pouco tempo e ainda sem filhos, os moradores deste apartamento carioca preferiram investir em um quarto de sonho antes mesmo de finalizar a decoração da sala. Partiu deles a idéia de integrar dois cômodos para ter o escritório ao lado da cama. “Ambos são médicos e usam a área de trabalho para estudar”, conta a arquiteta Marise Marine, responsável pelo projeto. O ambiente multiuso dispõe ainda de TV. “Posicionei a tela de forma que é possível vê-la também da cadeira do escritório”, diz Marise. “Este acaba sendo o ambiente da casa mais usado pelos dois.”

Pintura branca recicla o mobiliário

No terceiro projeto que o designer de interiores Francisco Cálio fez para a família, a casa recém-construída acolheu os móveis antigos, que vieram na mudança. O conjunto do quarto da filha, hoje universitária, é o mesmo desde que ela era menina – apenas recebeu laca branca fosca para ficar mais atual. O rosa aplicado à parede realça a cama, a penteadeira e a banqueta. “Escolhi uma tonalidade forte, mas fechada”, diz Cálio. “Tons vibrantes cansam logo, especialmente no quarto, que deve favorecer o descanso.” O piso é de cumaru, mais um elemento para deixar o espaço gostoso.

O artesanal se une ao contemporâneo

A dona deste quarto tem paixão por objetos feitos a mão. “Ela pensava em fazer um resgate da infância na decoração do ambiente. Sugeri, então, combinar o artesanal ao ultramoderno”, conta a arquiteta Deborah Roig, autora do projeto da suíte. A cama de design italiano, que já pertencia à moradora, não foi descartada e ganhou a companhia de peças como cortina de macramê, almofadas bordadas e cerâmicas compradas aos poucos, até formar uma coleção. No piso, as tábuas de madeira de demolição, com seu aspecto desgastado, revelam o gosto da proprietária por texturas marcantes.

Luminoso como queria o morador

Hoje, virou quase lugar-comum dizer que homens preferem decorações de tons escuros e sóbrios. O dono deste quarto, um administrador de empresas recém-separado, resolveu jogar esse conceito por terra e pediu às arquitetas Marcella Libeskind e Luciana Zeitel um ambiente branco e cheio de luz. “Além disso, ele sonhava com um visual charmoso e muita praticidade”, afirma Luciana. A marcenaria, de MDF laqueado, ajudou a organizar o espaço e ainda ampliou a luminosidade. Cor, apenas em detalhes, como os porta-travesseiro assinados pelos irmãos Campana e a xícara de chá.

Objetos garantem personalidade

Sempre que viaja, o empresário Marcelo Castelão traz lembranças que incorpora à decoração de sua casa, na Zona Sul carioca. “Como sabíamos dessa característica e imaginamos que o quarto logo se encheria de objetos, preferimos apostar em uma base simples, com marrons, cáquis e beges”, explica a arquiteta Camila Urbanetto, autora do projeto com o sócio, Ricardo Campos. O toque pessoal de Marcelo também aparece nas fronhas e almofadas estampadas, e não poderia ser diferente: ele é diretor da marca de tecidos La Estampa. “As padronagens deixam o quarto mais carinhoso”, acredita.

Matéria originalmente publicada: Revista Casa Claudia Novembro 2012

 

Esta entrada foi publicada em Dormitórios. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>