UNSTUDIO DIVULGA PROJETO PARA NOVO CENTRO DE TRANSPORTE E DESENVOLVIMENTO EM AMSTERDÃ

UNS  1

Ben van Berkel e UNStudio têm colaborado com uma equipa multidisciplinar, incluindo Goudappel Coffeng (consultores de mobilidade), GeoPhy (especialistas em dados) e 2getthere (sistemas automatizados de trânsito) para produzir um estudo examinando o futuro da infraestrutura e desenvolvimento da cidade para a área em torno do anel viário A10 de Amsterdã e do distrito de Leylaan.

Propostas resultantes do estudo compreendem um novo centro multimodal de transportes localizado na intersecção de Cornelis Lelyaan e a A10 e novos distritos urbanos flanqueando a rodovia que irá ligar para bairros adjacentes, fornecendo um novo endereço para a cidade.

UNS 2

Atualmente, a rodovia A10 atua como uma barreira entre as cidades internas e externas, e tornou os terrenos adjacentes inabitáveis e vagos. Como resultado, o estudo foi encomendado pelo Instituto Real de Arquitetos Holandeses (BNA), em consulta com a Rijkswaterstraat e a Câmara Municipal de Amsterdã, para descobrir estratégias potenciais para revitalizar o distrito através de um melhor sistema de infraestrutura.

O resultado do estudo mostra soluções que “reconciliam a natureza disparatada da rodovia e da cidade através da injeção de novos programas e amenidades” e reconectando-se aos bairros vizinhos por meio de maior acessibilidade.

UNS 3

O centro de transporte previsto servirá como um ponto de mudança modal que permitirá aos usuários a transição entre diferentes formas de transporte: de veículos particulares para transporte público; Veículos movidos a gás à mobilidade elétrica; ou de automóveis a caminhadas e ciclismo. O centro também servirá como uma parada para o novo sistema CityPods de Amsterdã, uma alternativa ao transporte público em massa que proporciona uma ligação direta ao centro da cidade.

Dentro do “hub”, restaurantes e comércios servirão para ativar o espaço e tornar o distrito um destino. O centro também conterá uma estação de carregamento para veículos elétricos que poderiam dobrar como um centro de fornecimento de energia para os bairros vizinhos durante as horas de pico.

UNS 4

UNS 5

“Atualmente, estamos entrando em uma era do transporte sob demanda, onde em um futuro próximo diferentes modos de transporte serão misturados de acordo com a necessidade, o impacto ambiental, a hora do rush, engarrafamentos e outros parâmetros”, explicam UNStudio em um comunicado à imprensa . “Com a velocidade de tráfego sobre o A10 reduzindo consideravelmente, os volumes de tráfego gerenciado através de soluções inovadoras, como pistas flexíveis e a implementação de novas superfícies rodoviárias e tecnologias que reduzem a poluição atmosférica e ruído, habitações se tornarão desejáveis na A10.

UNS 7

UNS 6Os novos desenvolvimentos urbanos serão organizados em cinco novas áreas em torno do hub de transporte, fornecendo 8.400 novas unidades residenciais dentro de uma área total construída de 750.000 metros quadrados. Estes empreendimentos poderiam ser construídos em fases, o que permitiria a construção do projeto começar imediatamente, deixando espaço para se adaptar às flutuações do mercado futuro.

UNS 8

Complementando as novas áreas residenciais, a proposta de Amsterdã A10 inclui a introdução de novos “ambientes urbanos centrados no homem”.

“Com conexões subterrâneas e acima do solo, não haverá mais um conceito predominante de anel interno / externo”, explicam os arquitetos. “A proposta é baseada em ruas e caminhos que favoreçam pedestres, uma densidade de pessoas e edifícios que criem vivacidade e uma mistura de usos e prestação de serviços com uma rede robusta de espaços públicos que permitam uma forte infraestrutura social e oportunidades de criação de empregos.”

Matéria publicada por Arch Daily em 09 de janeiro de 2016

Esta entrada foi publicada em Acessibilidade, Cidades, Tecnologia. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>