MARCENARIA É A ESTRELA DO PROJETO

No apartamento paulistano de 58 m², o painel de madeira não é apenas parte das soluções em nome da amplitude, mas sim protagonista. Ele surge como elemento versátil e contínuo separando e ligando ambientes, organizando e setorizando usos na casa

MarceDestaque do apartamento, a porta-camarão de freijó substituiu a parede entre quarto e sala. “Esse tipo de fechamento possibilita a máxima abertura do vão, ocupando pouco espaço quando recolhido”, afirma a arquiteta Aline D’Avola, que assina a reforma. Na parte fixa (à esq.), esconde-se o lavabo.

Às vezes, um único elemento pode resumir a identidade inteira de um projeto, o que parece ser o caso do comprido painel de madeira clara que setoriza este apartamento. Com seu mecanismo de fechamento do tipo camarão, ele conseguiu servir como solução à principal questão do imóvel, sua metragem exígua, de 58 m². “O conceito foi criar algo que trouxesse unidade arquitetônica e também integrasse os ambientes. Com essa divisória no lugar da antiga parede, conseguimos oferecer a leitura total do espaço e ao mesmo tempo separar funções, quando necessário”, fala arquiteta Aline D’Avola, autora do trabalho ao lado de André Procópio, ambos sócios no escritório paulistano Metamorfose.

No dia a dia dos moradores, o casal Maíra Garcia Marques Scabbia e Eduardo Marinho Scabbia, a peça permanece fechada. “Como o meu armário de roupas fica na área do segundo quarto, bem atrás dele, acabo usando o lugar como closet. Mas, em situações com visitas, escancaramos tudo e ganhamos um estar amplo”, conta Maíra. Nessa grande sala, misturam-se então cozinha, mesa de refeições e varanda, esta transformada em home theater.

Em tal contexto, manter a organização poderia ser um desafio, dificuldade clássica de quem vive em casas pequenas. “Por isso, tentamos aproveitar cada centímetro. Atrás da porta do lavabo e na passagem do dormitório para o banheiro do casal, por exemplo, desenhamos nichos para guardar objetos”, detalha Aline.

Toda a marcenaria parece se desdobrar num volume único e limpo – não há nem puxadores à vista – que segue até a cama, nos fundos da planta. A ideia de continuidade visual é repetida no piso, o mesmo porcelanato cinza aplicado em todos os cômodos, inclusive no terraço, medida capaz de reforçar a ilusão de amplitude. Ou melhor, sensação mais do que real. “A obra de fato otimizou o apartamento, que também conquistou flexibilidade”, aprova a proprietária Maíra.

 

Marce 2Com 13,2 m de comprimento quando inteiramente fechado, o painel de freijó capta a atenção para o desenho geométrico de sua superfície.

 

 

Marce 3Cada uma das seis folhas se move no trilho superior de metal, embutido no forro de gesso.

 

 

Marce 4O desenho do painel de madeira foi desenvolvido pelos próprios arquitetos. A execução com corte computadorizado é da  ZEROMAQUINA.

 

 

Marce 5Da sala, o olhar alcança a suíte, ao fundo. A parede da cabeceira é a única que ostenta alguma cor além do branco, um cinza leve (Suvinil, ref. Titânio). No piso, o porcelanato de 60 x 120 cm tem um tom parecido (Portobello, ref Brasília). Tapete da By Kamy.

 

 

Marce 6Com piso nivelado e igualado ao restante do apartamento e fechamento de vidro, o terraço virou home theater. O painel de madeira com laminado branco recebeu a TV e embutiu tomadas e fiação. A tela solar da Hunter Douglas (Arthur Decor) regula a luminosidade. Almofadas da Cremme e tapete da Phenicia Concept.

 

 

Marce 7Todos os espaços ganhos com a marcenaria foram utilizados, caso de entrada do banheiro do casal. “Não havia ali profundidade para uma porta, então aproveitamos o trecho com nichos e um maleiro em cima”, detalhe Aline.

 

Marce 8A cozinha limita-se a uma faixa aberta para a sala. Daí a importância de acabamentos com jeitos de estar, como o azulejo estampado, desenho dos próprios arquitetos. Bancada de granito são Gabriel (Pedra Cor) e armários da Kitchens.

 

Marce 9Na reforma, a área de serviço perdeu um trecho para a cozinha. Os revestimentos repetem-se nos dois ambientes.

 

Marce 10O aparador de freijó e o pendente sobre a mesa também tem traço dos arquitetos.

 

Marce 11A mudança pontual de algumas paredes foi suficiente para reorganizar a planta. O maior quebra-quebra deu nos banheiros: um deles virou lavabo e cedeu espaço ao outro da suíte, agora com duas cubas. Área: 58 m², Obra: Granato Construtora; Marcenaria: Visual Móbile Marcenaria; Luminotécnica: Reka

Matéria publicada pela jornalista: Silvia Gomez da, Arquitetura e Construção em 26 de agosto de 2016

Esta entrada foi publicada em Marcenaria. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>