OBRA ABERTA

Para além do marketing da chamada área gourmet, os terraços hoje se valorizam com múltiplos usos nos apartamentos. Veja a seguir uma seleção de projetos que aproveitaram cada centímetro de forma criativa

Obra 1O arquiteto Rafael Leão, do Studio 3.7 Arquitetura e Interiores, converteu a varanda do apartamento paulistano em um ambiente polivalente, com cinco funções.

Elas vieram para ficar: não é de hoje que deixaram de ser um simples canto de relaxamento no apartamento. Com finalidades e estruturas cada vez mais surpreendentes, as varandas já desfrutam do status de espaço cobiçado. Essa vocação híbrida possibilita diferentes formas de ocupação: sala de estar ou de jantar,escritório, salão de jogos e até cozinha. Também podem ser convertidas em extensão natural do living, desde que haja um sistema de isolamento contra o vento e o barulho. Vale saber: a multiplicação desses espaços decorre, entre outras razões, docódigo de zoneamento de algumas cidades. Eles permitem que, até certo limite, os terraços não sejam computados como área útil dos edifícios. No entanto, antes de empreender qualquer transformação no ambiente, é preciso saber se sua estrutura comporta as modificações e se existem impedimentos legais e do condomínio. Cada município tem suas próprias normas quanto ao fechamento, nivelamento e outras intervenções. Por isso, o projeto de arquitetura deve levar em conta todas essas questões.

Obra 2Entre a soluções, se impõe a estante de livros – a família toda adora a ler. No chão, porcelanato de 90 x 90 cm (ref. Urban Concreto, da Portinari).

 
Obra 3Virou cozinha – Uma churrasqueira e nada mais. Assim era construída a varanda de 18 m² do apartamento em São Paulo. Como a família é aficionada por gastronomia e a cozinha era pequena, tiveram a ideia de criar uma segunda área no terraço para preparar pratos e receber convidados. Responsável pelo projeto, o DT Estudio nivelou o piso e retirou a porta de correr que isolava o local, instalando um batente de madeira. Na parede, azulejos Liverpool White (Portobello). Marcenaria da Real Móveis.

 

 

Obra 4Como adaptar a infraestrutura – Para transformar o espaço da varanda em uma cozinha, este projeto exigiu uma pequena obra além da troca de revestimentos, começando pela tubulação. O sistema hidráulico conectou-se ao ponto de água da churrasqueira antes existente, removida na reforma. Tudo isso feito sob a laje, pelo forro do andar de baixo, área comum do prédio. Já a parte elétrica foi puxada do quarto situado bem ao lado na planta.

 

Obra 5O apartamento recém-comprado ostentava uma varanda generosa, com quase 11 m de comprimento. O problema era a largura: apenas 2,5 m. Os novos donos queriam que o espaço comportasse uma mesa de jantar e uma sala de estar, mas a estrutura não ajudava. A solução dada pelo arquiteto Felipe Hsu foi instalar um banco de freijó junto ao guarda-corpo, ligando as duas extremidades do terraço e assegurando unidade ao ambiente. Piso de travertino romano bruto.

 

 

Obra 6Este trecho recebeu sofá poltrona e mesa de centro, tornando-se uma extensão da área social adjacente.

 

 

Obra 7Em vez de cortinas, dois modernos painéis móveis se posicionam para regular a entrada da claridade e preservar a vista privilegiada deste apartamento paulistano. Essa solução norteou a arquiteta Flávia Gerab ao incorporar a varanda em L de 25 m² à sala. “A divisão de ambientes não fazia sentido para os moradores, um jovem casal, sobretudo porque eles costumam receber muitos convidados ao mesmo tempo”, explica Flávia. A obra nivelou e uniformizou piso e forro e removeu os caixilhos existentes.

 

 

Obra 8A vegetação em vasos de pano comprados em viagem imprime um charme especial e realça o aspecto solar do novo espaço.

 

Obra 9O desafio estava posto: transformar uma varanda de 20 m² que os moradores mal conseguiam utilizar em um ponto de convívio aconchegante. Para tanto, era preciso esconder o inconveniente aparelho de ar condicionado e reinventar o ambiente a partir dos elementos já incorporados pelos clientes. “A proposta era criar uma sala de estar para receber os amigos sem perder a essência de local aberto e relaxante”, diz a arquiteta Andrea Lucchesi, do Mestisso, autor do projeto.

 

 

Obra 10O deck de cumaru vai além do piso e reveste não só o sofá voltado para a vista como também esconde o ar-condicionado. Trabalho da Moraes Marcenaria.

 

 

Obra 11Quando a família contratou o escritório Storrer Tamburus para pensar a obra do apartamento de 352 m² em São Paulo, um dos objetivos era dar mais amplitude à ala social. “Propusemos incorporar completamente a varanda de 80 m², gerando um grande espaço aberto”, explica o arquiteto Fábio Storrer. Uma das sacadas da nova distribuição foi conectar tudo, a exemplo do sofá único, que pode ser usado em ambos os lados, atendendo, ao mesmo tempo, o estar e a área da TV. O escritório também foi incluído nesse trecho. Piso e forro foram nivelados e a varanda em L ganhou proteção de vidro (Sistema Vão Livre), com folhas laminadas de 10 mm de espessura em perfis de alumínio.

 

 

Obra 12A cozinha gourmet, anexada ao jantar. No piso, porcelanato de 1,20 x 1,20 m da Lappatto. A marcenaria (Eduardo Moreno Marcenaria) tem papel essencial no projeto, que aplicou o mesmo carvalho francês nos painéis e no mobiliário, interligando os ambientes.

Matéria publicada pelo jornalista: Renato Bianchi da, Arquitetura & Construção em julho de 2016

 

Esta entrada foi publicada em Arquitetura, Design de Interiores, Espaços Multifuncionais. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>