QUARTO DE CRIANÇA: SEMPRE CABE MAIS UM

Um bebê está a caminho? Uma mudança vai exigir que os pequenos durmam no mesmo cômodo? Não se preocupe! Dá para juntar irmãos sem briga!

01

Acomodar os filhos no mesmo dormitório, respeitando os gostos e espaços de cada um, é uma tarefa difícil. Mas o resultado pode ser encantador e muito educativo, já que eles aprendem a dividir tudo e a conviver em harmonia. Selecionamos cinco projetos bem-sucedidos que prometem arrancar suspiros e inspirar as mamães que buscam maneiras de unir meninos, meninas e casaizinhos!

Caetano e Pedro são donos de um esconderijo muito divertido

“Esse é o meu lugar favorito no mundo!”, declara Pedro, de 6 anos, o morador da cama de cima. Caetano, de 3, também morre de amores pelo cantinho. E a mãe, a médica Francine Bagnati, se orgulha da parceria dos meninos: “Às vezes, um acorda o outro de manhã para conversar ou brincar. Eles gostam da segurança de ter o outro pertinho”.

O beliche (MH Móveis, R$  6 500), idealizado por ela e feito sob medida, abriga um verdadeiro  QG no vão sob a cama mais alta (1,18 m). Isolada por uma cortina, a cabaninha tem um colchão no piso e funciona como reduto de diversão e de leitura – os pequenos são apaixonados por livros.  Um pisca-pisca de LED,  que não esquenta,

arremata a composição.

A brincadeira está também nas paredes do dormitório, que representam o céu lá no alto. Francine recortou adesivos em formatos de nuvens, grudou e, em seguida, pintou uma faixa acinzentada (Adamascado Claro, ref. B405, da Suvinil). Depois, foi só remover os moldes.

02

03

No território dos gêmeos Lucas e Felipe, o equilíbrio impera.

Eles dividem tudo, mas precisam ter seus espaços individuais preservados. “Por isso, quisemos um projeto com igualdade, sem privilégios, onde possam conviver tranquilamente”, justifica a mãe, a dentista Raquel Lodeiro, que confiou o planejamento à arquiteta paulistana Adriana Victorelli. O trabalho não teve segredos: a maior parede do dormitório  foi dividida em duas áreas exatamente iguais, cada uma com sua cama e  seu canto de estudos.

A grande cabeceira  (5 x 1 m) que unifica o ambiente é um painel revestido de sarja (o metro linear da estampa Tetris vale R$ 119,80 na Tamtum). A peça foi projetada com uma altura que possibilita acompanhar a troca das minicamas pelo padrão de solteiro quando Lucas e Felipe, que hoje têm 5 anos, crescerem.

A tinta azul (Curaçau Blue, ref. P333, da Suvinil) que cobre as paredes está em perfeita harmonia com as cores rebaixadas dos nichos laqueados – neles, moram brinquedos e livros da duplinha.

04

A mocinha Lorena e o bebê Murilo vivem juntos, numa boa!

Rosa para ela, azul para ele. Nada mais democrático! E a transição entre as cores é a grande sacada: metade da parede acima do berço de Murilo exibe bolinhas de adesivo vinílico azul (4 cm, 8 cm e 12 cm), enquanto a outra parte, mais próxima da caminha da Lorena, ostenta os círculos em cor-de-rosa. Essas tonalidades ainda demarcam as áreas  com tinta (Riacho Doce,  ref. C344, e Rosa Biquíni, ref.C227, ambas da Suvinil).

Lorena, de 3 anos, aprendeu cedo a dividir:  ela reinava em seu quartinho quando recebeu a notícia da chegada do irmão, hoje com 4 meses. A mãe, a empresária Ingrid Sierra, conta que a menina participou de todas as decisões da nova decoração. “Ela se sentiu acolhida, optou pela nova cama rosa ( Cody Candy. Etna, R$  449,90) e deu seu berço para o Murilo.”

O desafio foi acomodar o casal em menos de 8 m². Para tanto, berço e cômoda ocupam uma das quinas, enquanto a cama fica ao lado da entrada, formando um corredor de circulação.

05

O recanto delicado de Gabriela e o universo particular de Gustavo

O futuro astronauta Gustavo, de 5 anos, adorou a chegada da irmãzinha, hoje com 1 ano e 9 meses. Além de uma nova companheira para suas aventuras, ele ainda ganhou uma cama com jeitão de nave espacial. “Um dia eu vou pisar na lua”, garante. O móvel foi desenhado pela mãe, a arquiteta paulistana Fabiana Ferré, com base de MDF (RM Vital, R$ 1 600) e estrutura de drywall (Célio Oliveira, R$ 2 000). A parede interna se cobre com a cor Escuridão (ref. R151, da Suvinil) e adesivos de planetas e foguetes. No teto, o drywall possui pontinhos de luz de fibra ótica, imitando o céu estrelado. E prateleiras no gesso apoiam os livros do pequeno. Um sonho!

A área da Gabi é marcada pelo painel de drywall laranja (Cúrcuma, ref. P272, da Suvinil). E não é que as estrelas (adesivo Constelação, Grudado, R$ 59) brilham por ali também?

O centro do quarto fica livre para as brincadeiras e para fazer arte na mesinha.

06

07

A alegria toma conta do mundo supercolorido de Dora e Lia

A chegada da caçula animou a irmã do meio, Lia, que hoje tem 7 anos. Ela já dividia o quarto com a mais velha, Ana, que se mudou para outro cômodo. Foi, então, a oportunidade de remodelar o ambiente e adaptá-lo a seu gosto. “A Lia ama tons vibrantes, então escolhemos essa paleta a partir de um de seus livros preferidos”, conta a mãe, Julia Mendes, dona do ateliê de móveis Lá na Ladeira. A estrela é o papel de parede adesivo listrado (Bicolor RC, Lá na Ladeira, R$ 190 o metro).

Para bem aproveitar a área de 11 m², Julia planejou a cama suspensa (1,60 m), liberando o espaço inferior para uma escrivaninha, laqueada com as cores do papel, uma cadeira e um criado-mudo restaurados – tudo feito no ateliê. A cama de Dora, de 1 ano e 6 meses, se encaixa no vão que resta até a alvenaria da janela.

Com as tonalidades fortes concentradas de um lado, a parede de entrada ficou branquinha, mas toda decorada com obras de arte das meninas, molduras, bandeirolas e prateleiras.

08

09

matéria publicada na revista Minha Casa em maio de 2015

Esta entrada foi publicada em Design, Dormitórios. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>