CASA PROJETADA PRO FRANK LLOYD WRIGHT É DOADA PARA FACULDADE

A propriedade pertenceu ao filho do arquiteto e agora pertencerá à faculdade fundada por Wright há 85 anos

Arq 1

Em 1952, Frank Lloyd Wright projetou uma casa plano-espiral para seu filho, David, e sua nora, Gladys, no Arizona. Hoje, a propriedade foi doada pelo atual dono, Zach Rawling, para a School of Architecture at Taliesin, escola fundada pelo arquiteto há 85 anos.

Arq 2

Segundo uma declaração conjunta de Rawling e da instituição, a doação “celebra o legado da casa de David Wright como um ambiente instrutivo para a experiência e o aprendizado da arquitetura”.

Arq 3

A forma curva, acessada por meio de uma rampa espiral que circula a casa até o teto, permaneceu com a família Wright até 2008, mas depois foi abandonada. Em 2012, Rawling comprou a propriedade, que estava à beira de ser demolida.

Arq 4

Ele tinha como objetivo de transformá-la em um museu, o que não foi bem aceito pelos vizinhos. Os moradores queriam preservar a construção, mas sem torná-la totalmente pública. Assim, ele teve a ideia de entregar a casa para a faculdade.

Confira mais fotos!

Arq 5

Arq 6

Arq 7

Arq 8

Arq 9

Arq 10

Matéria publicada por Casa Claudia em 12 de junho de 2017

Publicado em Arquitetura | Deixar um comentário

JULIA KRANTZ, DESIGN E TÉCNICA EM PERFEITA SINTONIA

Luiza 1

Julia Krantz desenhou seu primeiro móvel aos 10 anos. Era fã dos Beatles, assistia todos os documentários da banda e foi num deles que se encantou com a cama do John Lennon. “Ela era escavada no piso e eu quis ter uma igual. Como morava num apartamento, desenhei um tablado com alguns degraus para acessar o colchão. Foi um marceneiro conhecido do meu pai que executou a peça”, recorda-se.

Luiza 2

A vontade de criar mobília voltou à tona durante as aulas de design industrial na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU-USP), nas quais ela construiu o protótipo de uma cadeira batizada Tripé. “Nessa época eu me apaixonei pela madeira e pelo trabalho na oficina”, conta. Não por acaso a tese de graduação de Julia foi a chaise-longue Baleia. “Nessa altura, eu já havia decidido me dedicar a design de móveis.”

Luiza 3

No ateliê localizado no bairro paulistano Vila Romana, Julia Krantz molda a forma do objeto num bloco de isopor e depois o recorta em várias fatias. Cada uma delas serve como modelo para o corte na madeira.

Começou a produzi-los na garagem de casa, aplicando a técnica de laminado prensado aprendida com Piero Caló na escola Cose di Legno, em São Paulo. Em 2000, abriu a própria marcenaria. “Dois amigos designers me ajudaram a concretizar esse sonho: André Marx, que listou todas as máquinas das quais eu precisaria, e Sergio Fahrer, que me acompanhou nas lojas do Brás e negociou ótimos descontos para elas”, revela.

Luiza 4

O mestre marceneiro Luiz Carlos foi outra aquisição desse período. “Ele está comigo desde o início e é um remanescente da boa marcenaria que já existiu no Brasil”, comenta Julia. Luiz, por sua vez, confirma a bem-sucedida parceria. “Nosso ‘casamento’ deu certo, são 17 anos juntos”, brinca ele, que aprendeu o ofício aos 12 anos em Campos de Jordão.

Luiza 5

De cedro naval, a poltrona Suave é a peça mais vendida e publicada da coleção da designer. Ao lado dela, a escultura O Vaso traz os exemplares numerados um a um.

O jeito tradicional de trabalhar a madeira com ferramentas manuais sempre atraiu a arquiteta-designer. “Um tampo de mesa finalizado com plaina garante um acabamento impecável. Isso é raro hoje em dia”, afirma. Foi o interesse por técnicas antigas, aliás, que aproximou Julia de Morito Ebine, japonês radicado no interior de São Paulo, a quem ela considera seu guru. “Nos conhecemos em 2006, quando visitei seu ateliê em Santo Antônio do Pinhal. A partir daí, eu o convenci a me receber todas as segundas-feiras. Nessa observação constante, entendi como tratar a matéria-prima maciça, aprendi novas técnicas artesanais e uma forma mais racional de planejar a produção.”

Luiza 6

O conjunto de ferramentas reúne itens pouco usados hoje em dia, como as diversas variações de plainas, formões e goivas.

Esses encontros duraram até 2016 e renderam, além de muito conhecimento, a parceria na criação da cadeira Weg e a amizade com o carioca Fernando Mendes, outro designer mestre na marcenaria que também frequentou o espaço de Morito. “Acabamos formando uma confraria”, conta Julia. Em abril deste ano, o trio organizou a exposição Artífices da Madeira no Casarão do Chá, em Mogi das Cruzes, no interior paulista, com as peças de autoria deles.

Luiza 7

O centro de mesa Folha (à esq.) emprega madeira andiroba. Já as gamelas, cedro naval (nas medidas 50 cm e 18 cm de diâm.) e jatobá (30 cm de diâm.).

De formas orgânicas e robustas, as peças de Julia têm identidade própria e são influenciadas pelas obras do espanhol Antonio Gaudí, do dinamarquês Hans Wegner e do norte-americano Frank Lloyd Wright.

Luiza 8

De linhas orgânicas e madeira sumaúma, a cadeira de balanço Mir foi concebida por Julia em 2010. As linhas sinuosas deixam mais leve a peça de grandes proporções.

Curiosa e boa aprendiz, Julia frequenta agora um curso de escultura para aprimorar sua capacidade de utilizar as goivas suíças para entalhes que comprou já há algum tempo. Veia artística não lhe falta, é verdade. Além de criar móveis e objetos, ela se dedica há sete anos a fazer gravuras no curso do renomado Evandro Carlos Jardim. “Era um hobby, mas tenho pensado cada vez mais em comercializar essas obras.” Insetos têm sido seu tema preferido no papel e, não por acaso, sua mais nova criação tridimensional, ainda a ser finalizada, traz o animal incrustado numa gamela de madeira. Outro plano futuro é desenhar luminárias. “Sempre quis fazer peças com luz e acho que chegou a hora de investir nessa ideia.” Os fãs do trabalho de Julia Krantz torcem para que isso realmente aconteça.

Luiza 9

A escultura Concha, pensada para servir de revisteiro, combina tauari com roxinho. As texturas variam conforme o corte dos laminados.

Para acessar  a loja de Julia Krantz  na Boobam, basta clicar aqui.

Matéria publicada por Eye4Design em 06 de junho de 2017

Publicado em Design | Deixar um comentário

10 OBRAS DE FRANK LLOYD WRIGHT QUE SÃO PATRIMÔNIOS DA UNESCO

Com mais de 500 obras emblemáticas espalhadas pelo mundo, arquiteto americano completaria 150 anos em 08 de junho de 2017

Frank 0

 

Considerado um dos maiores arquitetos de todos os tempos, Frank Lloyd Wrightcompletaria 150 anos em 8 de junho de 2017. Ao longo de sete décadas, ele foi o nome por trás de mais de 500 projetos arquitetônicos emblemáticos realizados ao redor do mundo, sendo lembrado por conseguir integrar a natureza e suas construções de uma forma brilhante.

Para comemorar a data, o MoMA criou uma exposição inteiramente dedicada à Wright e suas obras. Frank Lloyd Wright at 150: Unpacking the Archieve abrirá ao público no dia 12 de junho, revelando aos visitantes os projetos menos conhecidos da carreira do arquiteto, reunidos em um arquivo elaborado pela Universidade de Columbia em 2012.

E para celebrar o legado de Frank Lloyd Wright, relembre 10 construções assinadas pelo arquiteto que receberam o status de Patrimônio Mundial da UNESCO:

Frank 1

Frank 2

Frank 3

Frank 4

Frank 5

Frank 6

Frank 7

Frank 8

Frank 9

Frank 10

Matéria publicada por Casa Claudia em 08 de junho de 2017

Publicado em Arquitetura | Deixar um comentário

5 ESTILOS DE DÉCOR BASEADOS EM MÚSICAS DO ED SHEERAN

E se a música pudesse inspirar a decoração? Nós imaginamos – e te mostramos!

Ed 1

Você já pensou que a música pode te ajudar a adicionar personalidade na decoração? Na última semana, o cantor e compositor britânico Ed Sheeran esteve no Brasil e nós resolvemos traduzir as descrições de suas canções ultrarromânticas em estilos de décor. Parece loucura, mas pode acreditar: não é só possível como também inspirador. Confira:

*preparamos uma playlist no Spotify com todas as músicas – aperte o play enquanto lê!

1. Castle on the Hill

Um dos primeiros singles de DivideCastle on the Hill é uma daquelas músicas perfeitas para ouvir em uma viagem de carro. Nela, o tema central é a infância do britânico nos campos do interior da Inglaterra, onde ele considera ser sua casa. No décor, é possível imaginar uma paisagem campestre exuberante e um estilo rústico de fazenda onde os arredores são protagonistas.

Ed 2

Pé-direito duplo, atmosfera de galpão e décor neutro foram algumas das escolhas usadas pelo escritório Ouriço Arquitetura no projeto desta casa, no alto da serra fluminense. O objetivo era ressaltar a natureza exuberante que habita no terreno de oito mil metros quadrados.

2. Photograph

O poder do amor de machucar e curar é o tema central de Photograph. Impossível não recordar de nossas imagens favoritas enquanto o cantor revela que guarda as memórias em fotos, como uma forma de ‘congelar’ momentos. O tema tem tudo a ver com a tendência das gallery walls, que incentivam a criação de uma composição de fotos e obras de arte que cobre a parede e expõe a personalidade de quem vive ali.

Ed 3

Nesta sala (à esquerda), os tamanhos e molduras diferentes não impediram que a composição das obras fosse harmônica. À direita, as obras coloridas deixaram o ambiente, assinado pelo escritório Korman Arquitetos, ainda mais alegre. Ali, paisagens, retratos e formas geométricas conversam entre si.

3. Lego House

Uma das primeiras músicas famosas de Ed, Lego House é uma graça. A referência aos blocos de Lego da nossa infância é usada para explicar a importância da flexibilidade em um relacionamento. Essa versatilidade pode ser representada por ambientes modulares, customizáveis de acordo com as necessidades e desejos de cada morador.

Ed 4

Neste ambiente de 38 metros quadrados, o escritório TRiART Arquitetura e o Estúdio +55 criaram um mobiliário multifuncional. O principal é o sofá, que tem dois lados e estrutura tanto o living quanto a sala de jantar. Para dividir os espaços, um banco faz vezes de divisória, bar e apoio ao sofá.

4. Thinking Out Loud

Música-tema de muitos casais, Thinking Out Loud é outro sucesso absoluto do cantor. Nas frases, ele conta como projeta sua vida a dois, prometendo, com 23 anos, amar sua parceira até os 70. No décor, essa viagem no tempo pode ser representada nos ambientes que integram o moderno e o vintage com harmonia por meio de móveis e objetos que são herança de família.

Ed 5

Abrigando o bar, a cômoda antiga (à esquerda) foi reformada e recebeu pintura em azul turquesa. Descolado, o ambiente projetado por Sofia Kozma também conta com neon, parede estampada e luminária metálica. À direita, a cabeceira foi feita com placa de aço enferrujada e é o ponto central do quarto, assinado pelos arquitetos Thiago Tavares e João Duaver. A cômoda e a luminária vintage complementam a pegada industrial.

5. Shape of You

Dançante, Shape of You  faz referências à bebida (tema recorrente no repertório do cantor). Ed certamente tem um canto para seus drinques favoritos em casa e não está sozinho: os bares têm ganhado mais força na decoração, recebendo seus próprios espaços em carrinhos, nichos e bandejas. Ideal para quem adora receber, a tendência prova que as garrafas de formatos diferentes complementam o décor.

Ed 6

Reforçando a presença da madeira, o carrinho (à esquerda) expõe as garrafas do morador com estilo e discrição. O projeto é do arquiteto Leo Romano. À direita, o modelo de avião é a estrela do ambiente, adicionando cor e representando o estilo industrial ao lado da foto e das instalações expostas. Quem assina é a arquiteta Barbara Filgueiras.

Matéria publicada por Casa Claudia em 05 de junho de 2017

Publicado em Cultura, Decoração | Deixar um comentário

LIVING CHIQUE COM MADEIRA E DÉCOR CLARO

Tecidos, texturas e cores foram usadas para criar um mix convidativo no ambiente, projetado pela arquiteta Myrna Porcaro

Myrna Porcaro

A madeira se destaca neste living e reveste as poltronas de couro e as mesas de centro e de apoio. No décor, as cores claras e os tons de rosa complementam os quadros nas paredes e com as texturas da manta, do tapete e do pufe. O espaço, projetado pela arquiteta Myrna Porcaro para a Flag Store Saccaro em Miami, conta ainda com sofá alongado e cortina em tom de cinza.

Matéria publicada por Casa Claudia em 31 de maio de 2017

Publicado em Cores, Decoração, Superfícies | Deixar um comentário

OPERA HOUSE, EM SYDNEY, GANHA VIDA COM ESPETÁCULO DE LUZES

A instalação faz parte do festival anual de luzes vivid sydeny. A projeção de luzes é hipnotizante e faz parecer que o edifício está em movimento

Sydney a

A instalação Vivid LIVE faz parte do festival anual de luzes Vivid Sydney, que está tomando conta da cidade australiana nesta semana. Como em anos anteriores, o evento foi lançado com uma projeção de vídeo hipnotizante na estrutura do icônico edifício Opera House.

 

Intitulada “Audio Creatures”, a projeção deste ano foi criada por Ash Bolland e conta com trilha sonora de Amon Tobin. As projeções fazem parecer que o edifício tem vida própria e está em movimento.

Confira a galeria com imagens da Opera House iluminada:

Sydney 1

Sydney 2

Sydney 3

Sydney 4

Sydney 5

Sydney 6

Sydney 7

Sydney 8

Sydney 9

Sydney 10

Matéria publicada por Casa Claudia em 29 de maio de 2017

Publicado em Arquitetura, Construção, Iluminação | Deixar um comentário

5 CORES PARA APOSTAR EM UM QUARTO ROMÂNTICO

Aposte no poder das cores para criar um ambiente intimista e inspire-se com estes exemplos de quartos românticos

Quarto 1

Se você está precisando dar uma esquentada na relação, considere dar uma olhada na situação do quarto do casal. Criar uma atmosfera romântica no ambiente pode ser uma boa ideia para apimentar as coisas (e ainda deixar a decoração do cômodo linda e em dia). E se você souber como usar as cores a seu favor, tudo fica mais fácil.

1. Laranja vibrante

Quarto 2

 

2. Roxo

Quarto 3

Quarto 4

3. Azul

Quarto 5

Quarto 6

4. Verde petróleo

Quarto 7

 

Quarto 8

5. Marrom terroso

Quarto 9

Quarto 10

Quarto 11

Matéria publicada por Casa Claudia em 01 de maio de 2017

 

Publicado em Cores, Decoração | Deixar um comentário

PISCINA EM CONTEINER É UMA ÓTIMA IDEIA PARA O JARDIM

Arq 1

Piscinas sempre chamam a atenção da redação do Eye4Design. E quando essas piscinas são feitas de formas diferentes ou inovadoras, o interesse praticamente dobra! E essa não ia ser diferente.

Arq 2

Localizada em Vancouver, ela foi produzida por Modpools, onde transformaram um contêiner  em uma piscina. Com uma pegada bem contemporânea e interessante, a piscina ainda ganhou uma parede de vidro, que faz com que todos consigam ver o que está acontecendo dentro dela. E ai? Gostou da ideia?

Matéria publicada por Eye4Design em 28 de abril de 2017

Publicado em Arquitetura | Deixar um comentário

NOVA APPLE STORE ABRIGA INCRÍVEL INSTALAÇÃO CINÉTICA DE 57 METROS

Com uma das maiores instalações cinéticas do mundo, a nova Apple Store tem tudo para se tornar uma nova atração turística em Dubai

Dubai 1

Apple acaba de inaugurar a sua mais nova loja em Dubai, nos Emirados Árabes. Diferentemente das tradicionais lojas com design clean e minimalista, a nova Apple Store impressiona pela arquitetura e tem tudo para se tornar um novo ponto turístico.

Dubai 2

Com visão para o maior edifício do mundo, o Burj Khalifa, a loja, que ocupa dois andares do Dubai Mall, foi projetada com janelas motorizadas ao longo de uma fachada de 57 metros de comprimento. As janelas ainda formam 18 painéis de fibra de carbono que “amenizam” a temperatura da cidade no interior do espaço. A instalação recebeu o nome de “Solar Wings”.

“Quando o Sol está no ponto mais quente, as janelas refrescam o interior da loja. No final do dia, elas se abrem para convidar os visitantes ao terraço público. Os 18 painéis possuem 340 varas de polímero reforçado de fibra de carbono e 57 metros de comprimento, se tornando uma das maiores instalações cinéticas do mundo”, disse Stefan Behling, diretor do estúdio Foster + Partners, responsável pelo projeto.

Confira mais fotos da nova Apple Store:

Dubai 3

Dubai 4

Dubai 5

Dubai 5a

Dubai 6

Dubai 7

Matéria publicada por Casa Claudia em 01 de maio de 2017

Publicado em Arquitetura, Construção, Design, Lojas, Tecnologia | Deixar um comentário

IRMÃOS CAMPANA SÃO TEMA DE EXPOSIÇÃO NO MUSEU OSCAR NIEMEYER

A exposição inédita idealizada pelo MON traz peças icônicas da trajetória de mais de 30 anos da dupla de designers

Os irmãos Fernando e Humberto Campana criaram em 1983 o Estúdio Campana e ficaram famosos pelo design de mobiliário com peças intrigantes. Também se destacaram no design de interiores, na arquitetura, paisagismo, cenografia e moda. Seus trabalhos trazem a ideia de transformação, de reinvenção e integram o artesanato com a produção em massa. Suas peças já foram expostas em museus como o MoMa, em Nova York e o Centre Georges Pompidou, em Paris.

Campana 1

Hoje (27), às 19h, o Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba (PR), inaugura a mostra “Irmãos Campana” e apresenta a trajetória de mais de 30 anos da dupla. A produção é do próprio museu e acontece em um espaço de 1500 metros quadrados. A cenografia foi criada especialmente para a exposição e a ambientação é dos próprios designers Fernando e Humberto Campana que apresentam cerca de 130 obras suas. “Concebemos toda uma cenografia para dialogar com a arquitetura do Niemeyer. Ele foi uma das pessoas que exerceu grande influência no nosso trabalho”, diz Humberto Campana.

A mostra contará com obras icônicas como as poltronas Vermelha (1998), Favela (2003) e Corallo (2003), produzidas pela empresa italiana Edra; além de peças do início da carreira, como as cadeiras da coleção Desconfortáveis (1989); até trabalhos mais recentes, como a inédita linha de móveis Assimétrica (2017), produzida pela Tok&Stok. Peças representadas por galerias internacionais, incluindo Friedman Benda Gallery e Firma Casa também farão parte da mostra, assim como outras obras licenciadas por empresas internacionais e nacionais, tais como A Lot of Brasil, Alessi, Edra, Grendene, Lacoste, Lasvit, Louis Vuitton, Skitsch, entre outras.

Campana 2

“É uma grande alegria receber a mostra dos Irmãos Campana, que vem cada vez mais fortalecer essa característica do Museu Oscar Niemeyer de trabalhar com design, arte e arquitetura. É uma exposição imperdível”, comenta o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani. Juliana Vosnika, diretora-presidente do MON ressalta que idealizar e executar esta exposição demonstra a capacidade de ousar e realizar do museu que comemora em 2017 15 anos de atividades.

“O foco é mostrar como os Irmãos trabalham, tendo como linha curatorial a diversidade de materiais utilizados em suas obras. Eles realizam uma intensa pesquisa neste aspecto, que foi disposta de forma cronológica na mostra, de modo que o visitante poderá ter uma ideia do histórico das matérias-primas utilizadas. A decisão por esta linha curatorial foi natural dentro do trabalho deles, pois com os Irmãos Campana o design nasce a partir do material e não a partir de um desenho”, analisa a curadora Consuelo Cornelsen.

Campana 3

Irmãos Campana

 

Onde: Museu Oscar Niemeyer (MON), Curitiba (PR)

 

Quando: de 27 de abril a 20 de agosto, de terça a domingo

 

Quanto: R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada). Nas quartas a entrada é franca. Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada gratuita todos os dias.

Matéria publicada por Casa Claudia em 27 de abril de 2017

 

Publicado em Design, Design de Interiores | Deixar um comentário